Lula dispensa 40 militares da administração do Alvorada

Sem justificativa aparente, a dispensa ocorre após Janja expor os danos no Alvorada encontrados pela equipe do petista

Lula participa de café da manhã com jornalistas no Planalto, em Brasília, 12 de janeiro, 2023 (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
Lula participa de café da manhã com jornalistas no Planalto, em Brasília, 12 de janeiro, 2023 (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
  • Lula dispensou militares do Alvorada;

  • Lista com os afastados foi publicada no DOU de hoje;

  • Dispensa acontece após Janja expor os danos que encontrou no local.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dispensou 40 militares da Coordenação de Administração do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência.

A lista com o nome de todos os afastados está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (17).

Sem justificativa aparente, a dispensa ocorre após a primeira-dama, Janja, expor os danos que encontrou no Alvorada depois que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) desocupou o local.

Janja, em entrevista concedida à GloboNews, fez um passeio pela residência oficial e mostrou vidros de janelas rachados, sofás e tapetes rasgados e sujos, tetos com infiltração, tábuas soltas e quebras no piso.

Uma série de móveis e obras de arte precisarão ser restaurados, por danos ou exposição indevida ao sol.

Na ocasião, a primeira-dama chegou a dizer que não houve cuidado com o local. “O que a gente percebe é que não teve cuidado, manutenção”, observou Janja.

Ela ainda complementou dizendo que ela e o presidente mudariam para o lugar após ser realizado um inventário completo do Palácio da Alvorada.

“Eu e o presidente Lula resolvemos que a gente só vai mudar quando tiver um inventário completo do que tem aqui dentro, de como foi entregue para a gente”, afirmou Janja à época.

Antes mesmo da mudança, a intenção era de fazer algumas obras para restaurar o espaço na área residencial do Alvorada.

Lula e Janja visitaram o espaço no dia 3 de janeiro e, de acordo com ela, o presidente ficou mexido e “um tanto decepcionado” com o estado de conservação do palácio presidencial.

Em mandatos anteriores, o petista havia plantado um pé de mandacaru, mas a vegetação foi arrancada, o que decepcionou o petista no retorno à residência oficial onde já viveu por oito anos, entre 2013 e 2010.

“Os móveis, os pés dos móveis que são de latão, não estão polidos. Os móveis não são os originais. A gente vai tentar recuperar isso. Ainda preciso fazer uma visita ao depósito — a Presidência da República tem um depósito de móveis — e ver o que foi para lá. Tem muitos objetos que foram transportados de um lado para o outro, do Planalto para cá, daqui para o Jaburu (residência oficial do vice-presidente). Então, a gente precisa localizar esses objetos”, afirmou Janja na entrevista.