Lula diz que Alckmin terá papel de 'importância' como teve José Alencar

Candidato à Presidência pelo PT, Lula participou de debate com empresários nesta terça-feira na Fiesp e elogiou o papel conciliador de Alckmin. (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Candidato à Presidência pelo PT, Lula participou de debate com empresários nesta terça-feira na Fiesp e elogiou o papel conciliador de Alckmin. (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

Em debate realizado na manhã desta terça-feira (9), com empresários na sede da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) exaltou o papel de Geraldo Alckmin (PSB), seu companheiro de chapa, na composição de um futuro governo.

“Alckmin foi meu adversário político (nas eleições) em 2006. Esse jeitão dele bonzinho não foi tão bom assim na campanha. Estou com as canelas machucadas até agora. E ele e eu resolvemos relevar a um segundo plano e resolvemos compor uma chapa na perspectiva de governar esse país”, disse o petista.

Lula destacou ainda que Alckmin terá “importância” como José Alencar, pai do presidente da Fiesp, Josué Alencar, que promoveu o debate.

“Em todos os debates que vou, faço questão que o Alckmin tenha a palavra, para falar não como um vice qualquer, mas um vice que vai ter importância como teve o Zé Alencar. O Zé Alencar participava de todas as decisões de governo na mesa, dando palpite como se fosse presidente da República. Era tratado na reunião como presidente e não como vice. Alckmin, você vai perceber que vai ser tratado assim também”, afirmou o ex-presidente passando a palavra para Alckmin, que, por sua vez, elogiou a iniciativa da Fiesp de fazer um manifesto em defesa da democracia.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Nas redes sociais, Lula reiterou a defesa sobre o papal do agora membro do PSB na composição da chapa.

“A minha aliança com o Alckmin é necessária para o Brasil. Juntamos a experiência de um homem que governou São Paulo com o presidente que saiu com a maior aprovação da história contemporânea do país. Essa junção só pode dar certo”, escreveu Lula.