Lula diz que Bolsonaro é ignorante como capiau do interior de São Paulo

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21.09.2022 - O ex-presidente Lula (PT). (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21.09.2022 - O ex-presidente Lula (PT). (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se referiu ao presidente Jair Bolsonaro (PL), seu principal adversário na corrida eleitoral, como "ignorante" e associou esse termo ao "capiau do interior de São Paulo", o que pode ser considerado mais um deslize do petista na campanha eleitoral.

As declarações foram dadas em sabatina com o apresentador Ratinho, no SBT, na noite de quinta-feira (22), num momento em que Lula criticava o atraso do governo Bolsonaro na compra de vacinas da Covid-19.

"É uma estupidez de alguém que é um pouco ignorante, é o que ele é mesmo, um pouco ignorante. Aquele jeitão bruto dele, de capiau lá do interior de São Paulo, aquele capiau de Registro [no Vale do Ribeira], bem duro assim, bem ignorante", disse Lula.

"Porque tem gente que acha que ser ignorante é bonito e não é. O que é bonito é você ser educado, ser um cara refinado como eu", seguiu.

A declaração de Lula foi criticada por bolsonaristas nas redes sociais, entre eles os filhos do presidente Bolsonaro.

"Lula chama os paulistas do interior de ignorantes", escreveu o senador Flávio Bolsonaro (PL) em publicação no Instagram acompanhada do trecho do discurso de Lula. Já o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) afirmou que "Lula (PT) trata os moradores de São Paulo com desdém e preconceito".

O assessor para assuntos internacionais da Presidência, Filipe Martins, incentivou que seus seguidores divulgassem o vídeo nas redes sociais. "Lula chamou o meu interior paulista de ignorante e de capiau, por não sermos 'refinados' como ele", escreveu no Twitter.

O empresário Salim Mattar, fundador da Localiza, também se pronunciou criticando a fala do petista. "Mais uma declaração preconceituosa e desrespeitosa com a população trabalhadora e honesta do interior do maior estado brasileiro."

A fala de Lula se soma a uma série de outros escorregões na atual campanha eleitoral.

Em comício realizado no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, em agosto, o petista cometeu uma gafe ao condenar a violência contra as mulheres. "Quer bater em mulher? Vá bater em outro lugar, mas não dentro da sua casa ou no Brasil, porque nós não podemos aceitar mais isso."

Esse trecho do discurso foi levado à televisão pela campanha de Bolsonaro na propaganda eleitoral para atacar o petista.

Em abril, durante ato da pré-campanha, Lula chegou a afirmar que Bolsonaro "não gosta de gente, ele gosta de policial" --e se desculpou aos policiais pela declaração no dia seguinte.

Também em abril, Lula foi criticado por defender, em evento da CUT (Central Única dos Trabalhadores), que a militância sindical procurasse deputados e seus familiares na casa deles para pressionar a favor de propostas que interessassem ao setor em um eventual governo petista a partir de 2023.

"Se a gente mapeasse o endereço de cada deputado e fossem 50 pessoas na casa, não é para xingar não, é para conversar com ele, com a mulher dele, com o filho dele, incomodar a tranquilidade dele, surte muito mais efeito do que fazer a manifestação em Brasília", disse o ex-presidente naquele momento.