Lula diz que Bolsonaro estava desconfortável em posse de Moraes: "Não gosta de democracia"

Alexandre de Moraes assumiu como presidente do TSE na noite de terça-feira (16); Lula e Bolsonaro estiveram no evento (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Alexandre de Moraes assumiu como presidente do TSE na noite de terça-feira (16); Lula e Bolsonaro estiveram no evento (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Após encontrar Jair Bolsonaro (PL) na posse de Alexandre de Moraes como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o atual presidente estava desconfortável durante o evento.

Segundo o petista, Bolsonaro “ouviu tantas vezes a palavra democracia” que ficou em uma situação incômoda.

“Bolsonaro estava muito incomodado ontem no TSE, porque ouviu tantas vezes a palavra democracia e críticas às mentiras. Era visível o desconforto. E eu compreendo isso, porque ele não gosta de democracia, e ontem foi um ato em defesa do Estado Democrático no Brasil”, disse o ex-presidente, em entrevista à rádio Super e jornal O Tempo.

Na entrevista, o petista ainda pediu uma pacificação do país e pregou o diálogo entre todos que forma eleitos em outubro.

“Temos que construir um clima de paz e cordialidade. Depois das eleições quem ganha governa, quem perde se prepara para a próxima eleição. Você tem que conversar com quem foi eleito. Eu já perdi e já ganhei, e a pessoa tem que saber ganhar e perder com humildade.”

Posse de Moraes

O ministro Alexandre de Moraes afirmou na noite da última terça-feira (16), em discurso de posse como presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que a intervenção da Justiça Eleitoral será mínima nas eleições deste ano, mas garantiu que será "célere, firme e implacável" para coibir práticas abusivas ou divulgações de notícias falsas ou fraudulentas.

"Principalmente daquelas escondidas no covarde anonimato das redes sociais, as famosas fake news. E assim atuará a Justiça Eleitoral de modo a proteger a integridade das instituições, o regime democrático e a vontade popular, pois a Constituição Federal não autoriza que se propaguem mentiras que atentem contra a lisura, a normalidade e a legitimidade das eleições", disse.

"A democracia não é um caminho fácil, exato ou previsível, mas é o único caminho. A democracia é uma construção coletiva daqueles que acreditam na liberdade, na paz, no desenvolvimento, na dignidade da pessoa humana, no pleno emprego, no fim da fome, na redução das desigualdades, na prevalência da educação e na garantia de saúde", seguiu.

Ele também condenou o discurso de ódio, afirmando que liberdade de expressão não significa liberdade de agressão.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022: