Lula sobre atos terroristas no DF: ‘Estou convencido que porta do Palácio foi aberta’

Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva meets with members of Congress at Planalto Palace, the office of the president, in Brasilia, Brazil, Wednesday, Jan. 11, 2023. (AP Photo/Eraldo Peres)
Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva meets with members of Congress at Planalto Palace, the office of the president, in Brasilia, Brazil, Wednesday, Jan. 11, 2023. (AP Photo/Eraldo Peres)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou nesta quinta-feira “gente das Forças Armadas” de ter sido conivente com a invasão do Palácio do Planalto no último domingo e afirmou estar convencido de que as portas foram abertas. Ele disse ainda que não pode ficar "nenhum supeito de ser bolsonarista raiz" no Palácio.

— Eu ainda não conversei com as pessoas a respeito disso. Eu estou esperando a poeira baixar. Quero ver todas as fitas gravadas dentro da Suprema Corte, dentro do palácio. Teve muito gente conivente. Teve muita gente da PM conivente. Muita gente das Forças Armadas aqui dentro conivente. Eu estou convencido que a porta do Palácio do Planalto foi aberta para essa gente entrar porque não tem porta quebrada. Ou seja, alguém facilitou a entrada deles aqui — disse Lula, durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Antes de responder às perguntas dos jornalistas, Lula fez uma fala inicial. Logo no início, o presidente revelou que está sendo feito um trabalho para tirar os bolsonaristas que estavam lotados no Planalto do Planalto.

— Nós estamos no momento de fazer uma triagem profunda. Porque a verdade é que o Palácio estava repleto de bolsonaristas, de militares e estamos vendo se a gente consegue corrigir para colocar funcionários de carreira, de preferência funcionários civis que estavam aqui e foram afastados, transferidos de departamento. Para que isso se transforme num gabinete civil.

Em outro momento, Lula revelou estar usando como ajudante de ordens servidores que já trabalhavam com ele por perda de confiança nos militares. Como ex-presidente, o petista tinha direito a assessores.

‘Não pode ficar ninguém que seja suspeito de ser bolsonarista raiz aqui dentro’

O presidente Lula disse ainda que ninguém “suspeito de ser bolsonarista raiz” pode continuar no Palácio do Planalto. Lula, porém, negou que vá perseguir pessoas que apoiaram a Operação Lava-Jato no passado.

— Eu acho que aqui no Palácio, é preciso que cada ministro saiba o seguinte: não pode ficar ninguém que seja suspeito de ser bolsonarista raiz aqui dentro. Eu também não quero fazer um processo de perseguição porque um dia o cara foi lavajatista. Não. Houve um momento que a sociedade brasileira foi tão enganada e tão ludibriada — disse o presidente, durante café da manhã com jornalistas.

Lula negou querer colocar apenas petistas no palácio.

— Se o cara é um funcionário de carreira e ele presta o serviço dele com retidão, por que ele não pode ficar? Eu não quero fazer um Palácio de petistas, quero fazer um palácio de pessoas sérias, que trabalham, que tenham compromisso com o país, com o povo e que cumpram com as funções. É assim que vai funcionar.