Lula diz que não quer transformar Amazônia em santuário e diz que é possível explorar sem desmatar

Former Brazil's President Lula da Silva meets Europeans politicians in Sao Paulo

Por Eduardo Simões

(Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta terça-feira que não pretende transformar a Amazônia em um santuário mundial, e que é preciso levar em conta a população que vive na região, ao mesmo tempo que disse ser "plenamente possível" explorar a floresta sem desmatar e sem realizar queimadas.

"A gente não quer transformar a Amazônia em um santuário da humanidade. Primeiro a gente tem que levar em conta a quantidade de pessoas que moram no Estado, que moram na Amazônia, que moram na região de florestas, e essas pessoas têm que viver dignamente", disse Lula em entrevista à rádio Mais Brasil, de Manaus.

"Ao mesmo tempo, a gente tem que saber que é plenamente possível não fazer mais desmatamento, a gente não fazer mais queimadas e a gente tentar explorar cientificamente a riqueza da biodiversidade existente em toda a Amazônia, não apenas na Amazônia brasileira", acrescentou.

Lula, que nesta semana fará campanha em cidades da Região Norte como Manaus e Belém, também defendeu o fortalecimento da Zona Franca de Manaus, com a instalação de fábricas não poluentes lá.

O petista, que na véspera se reuniu com deputados do Parlamento europeu em São Paulo, disse haver uma grande vontade da União Europeia em contribuir com a preservação da Amazônia e disse que, se eleito, pretende usar isso para atrair investimentos para a região, mantendo a soberania brasileira sobre a floresta.