Lula diz que não trará religião para centro da campanha

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Por Lisandra Paraguassu

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta sexta-feira que não irá trazer a religião para o centro da campanha eleitoral.

“Eu nunca usei religião na minha campanha, eu não vou participar disso”, disse Lula em uma rápida entrevista no final desta sexta. “Quando um ser humano vai na igreja vai tratar da fé, não vai lá para discutir política.”

O candidato do PT à Presidência tem sido alvo de notícias falsas visando o público evangélico e de ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, vinculados à religião.

A onda de ataques tem, aparentemente, se refletido nas pesquisas eleitorais. Os últimos levantamentos mostram um aumento da intenção de voto de Bolsonaro no segmento evangélico.

Pesquisa Datafolha divulgada quinta-feira mostrou o presidente subindo de 43% para 49% entre os evangélicos, enquanto o petista passou de 33% para 32%. Na pesquisa geral, Lula lidera com 47% contra 32% de Bolsonaro.

"Eu não quero ficar disputando voto religioso”, disse o ex-presidente. “Não faz parte da minha cultura política instituir uma guerra santa.”

Lula faz nesse sábado o seu segundo comício de campanha, dessa vez em São Paulo, no Vale do Anhangabaú.