Lula diz que só vai escolher equipe de governo se vencer eleição: 'gera discórdia no time'

SÃO PAULO — O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na manhã desta sexta-feira que não deve escolher nomes de sua eventual equipe antes da eleição de outubro. A declaração foi feita à "Rádio Jornal" de Recife.

— Se você escolher seu time antes das eleições, você pode não ganhar as eleições, porque você começa a gerar discórdia dentro do seu próprio time. É preciso ter muito cuidado — declarou.

O ex-presidente havia sido questionado se o "time" petista seria parecido com o de 2003, com várias figuras importantes do PT no alto escalão do governo, como José Dirceu e José Genoino.

Ele evitou comentar sobre outro nome ligado aos seus primeiros governos, o do ex-ministro Antonio Palocci, quem considerava amigo até sua delação na Lava-Jato. Perguntado se perdoaria o ex-petista, Lula evitou mencioná-lo e afirmou que quem deveria pedir-lhe desculpa são seus acusadores.

O petista aproveitou para comentar a recente decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que concluiu na quinta-feira que o ex-presidente havia sido julgado com parcialidade no âmbito da operação e teve seus direitos político e de privacidade violados.

— O correto seria revogar o mandato do Bolsonaro e me colocar na Presidência. Como (o mandato) já está no fim, eu também não quero (mais). Então que deixe as eleições serem democráticas — declarou.

Disputa em Pernambuco

Perguntado sobre quem seria seu candidato em Pernambuco, a ex-petista Marília Arraes ou Danilo Cabral, do PSB, Lula afirmou que ficaria com o pessebista pelo acordo seu os dois partidos para a eleição no estado.

— Tenho um acordo com o PSB, que é nacional. Então meu candidato é o Danilo. Embora eu mantenha toda relação que eu tenho de respeito pela Marília, eu, sinceramente, vou trabalhar para que Danilo seja o governador do estado de Pernambuco — disse Lula.

Marília deixou o PT em março para disputar o governo pelo Solidariedade, decisão que pegou o comando petista de surpresa. O partido havia aceitado lançá-la ao Senado na chapa que será encabeçada por Cabral.

A deputada, no entanto, tem colocado o ex-presidente em seu material de pré-campanha mesmo assim.

Lula afirmou que não vai "criar nenhum problema" caso outros políticos, mesmo os conservadores, queiram apoiá-lo na eleição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos