Lula diz que sistema de inteligência não existiu antes de ataque aos três Poderes

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (18) que o sistema de inteligência do governo federal "não existiu" no dia 8, quando as sedes dos três Poderes foram invadidas e depredadas por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O chefe do Executivo disse que estava em Araraquara (SP) no momento da invasão e que, se soubesse do risco de invasão aos palácios, não teria deixado a capital federal.

"Quando eu saí de Brasília na sexta, tinha a informação que estava tudo tranquilo. E depois aconteceu o que aconteceu no domingo, com convocação nas redes sociais. Nenhuma inteligência serviu para me avisar que poderia acontecer isso. Se eu soubesse, não teria viajado", afirmou em entrevista à GloboNews.

Lula disse que ficou com o sentimento de "que era o começo de um golpe de Estado" e fez duras críticas ao ex-presidente. "Impressão de que Bolsonaro queria voltar ao Brasil na glória de um golpe."

"Eu fiquei com a impressão inclusive que o pessoal estava acatando ordem e orientação que o Bolsonaro deu durante muito tempo, por muito tempo ele mandou invadir a Suprema Corte, desacreditou do Congresso Nacional, por muito tempo ele pedia que o povo andasse armado, porque isso era democracia", afirmou.

O presidente também voltou a dizer que teve gente conivente dentro do Palácio do Planalto que facilitou a invasão.

"Eu fiquei com a impressão inclusive que o pessoal estava acatando ordem e orientação que o Bolsonaro deu durante muito tempo. Por muito tempo ele mandou invadir a Suprema Corte, desacreditou do Congresso Nacional, por muito tempo ele pedia que o povo andasse armado, porque isso era democracia."

Na última semana, o petista já havia demonstrado grande desconfiança em relação a militares que atuam no governo e mandou um duro recado às Forças Armadas.

"Essa a imagem que eu tenho das Forças Armadas. Umas Forças Armadas que sabem que seu papel está definido na Constituição. As Forças Armadas não são o poder moderador como pensam que são. As Forças Armadas têm um papel na Constituição, que é a defesa do povo brasileiro e da nossa soberania contra possíveis inimigos externos", disse, em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Lula afirmou ainda estar "convencido" de que gente de dentro do palácio deixou golpistas entrarem no dia da invasão ao Planalto.

"Eu estou esperando a poeira baixar. Eu quero ver todas as fitas gravadas dentro da Suprema Corte, dentro do palácio. Teve muito agente conivente. Teve muita gente da PM conivente. Muita gente das Forças Armadas aqui de dentro coniventes. Eu estou convencido que a porta do Palácio do Planalto foi aberta para essa gente entrar porque não tem porta quebrada. Ou seja, alguém facilitou a entrada deles aqui", afirmou.

No dia 8, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro promoveram um grande ato golpista na Esplanada dos Ministérios. Avançaram sobre as forças de segurança e invadiram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal, deixando para trás um rastro de vandalismo e destruição.