Lula diz que universidades voltarão à 'luminosidade': 'Estamos saindo das trevas'

encontro ocorreu no Palácio do Planalto, em Brasília, e contou com a presença do ministro da Educação, Camilo Santana

Lula (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
Lula (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quinta-feira (19) que as instituições de ensino do país conviveram com o “obscurantismo” nos quatro anos do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), mas afirmou que vão voltar à “luminosidade”.

“Não existe na história da humanidade nenhum país que conseguiu se desenvolver sem que antes tivesse resolvido o problema da formação do seu povo”, falou ele.

“Estamos começando um novo momento. Eu sei do obscurantismo que vocês viveram nesses últimos quatro anos. Estamos saindo das trevas para voltar à luminosidade de um novo tempo”, prosseguiu.

O presidente se reuniu hoje com reitores de universidades e de institutos federais do Brasil. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto, em Brasília, e contou com a presença de Camilo Santana, que comanda o MEC (Ministério da Educação).

Segundo informações do portal Metrópoles, além do político, 70 representantes das universidades e cerca de 40 dos institutos federais participaram do encontro. O presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), Ricardo Marcelo Fonseca, também estava presente.

Mais cedo, Lula escreveu em seu Twitter sobre a reunião: "Um diálogo necessário para o Brasil, para recuperarmos e retomarmos avanços no ensino superior."

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

No governo Bolsonaro, as universidades e institutos federais de educação passaram por dificuldades, como corte no orçamento. Ao discursar, o presidente da Andifes afirmou que os reitores e as universidades federais foram “maltratadas, detratadas e esganadas orçamentariamente”.

“Fomos colocados como alvo, e pior: fomos alijados do nosso papel natural que é estar a serviço do Brasil. O conjunto das universidades federais brasileiras quer apresentar nesse momento, para esse governo, a sua disposição de estar a serviço do Brasil a partir de agora.”

Assim como Lula, Fonsceca também chamou o governo de Jair Bolsonaro de “obscuro”, afirmando que as universidades foram “resistência” nesse período.