Lula e Bolsonaro 'juntos' nos EUA em fevereiro? Entenda

Presidente brasileiro visitará chefe de Estado norte-americano no dia 10

Lula vai aos EUA para reunião com Biden em fevereiro. Os dois já se encontraram quando Biden era vice de Barack Obama. No mesmo período, é possível que Bolsonaro ainda esteja se abrigando no país. (Foto: AFP / Gardner Hamilton via Getty Images)
Lula vai aos EUA para reunião com Biden em fevereiro. Os dois já se encontraram quando Biden era vice de Barack Obama. No mesmo período, é possível que Bolsonaro ainda esteja se abrigando no país. (Foto: AFP / Gardner Hamilton via Getty Images)
  • O presidente Lula vai aos EUA para reunião com Joe Biden no dia 10 de fevereiro, em Washington;

  • Visita do petista ao país norte-americano já era prevista desde a vitória nas eleições de 2022, e ocorre na sequência da passagem dele pela Argentina e Uruguai;

  • Sem data de retorno ao Brasil, Bolsonaro poderá estar nos EUA na data da visita de Lula ao país.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já tem data para o primeiro encontro oficial com o presidente dos Estados Unidos Joe Biden. A reunião entre os dois ocorrerá no dia 10 de fevereiro, após passagem do petista pela Argentina e Uruguai.

Biden e Lula conversaram por telefone após os ataques de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) às Sedes dos Três Poderes, em Brasília (DF), no dia 8 de janeiro.

Contudo, a visita do brasileiro já era prevista antes disso.

Em dezembro, quando foi eleito, Lula recebeu o conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, para uma conversa sobre a visita a Biden.

Biden foi um dos primeiros líderes internacionais a reconhecer a vitória do petista nas eleições de outubro.

Além do país norte-americano e latinos, Lula também vai à China, principal parceiro comercial do Brasil que teve relações bilaterais afetadas negativamente na gestão de Bolsonaro. Ainda não há data para essa viagem.

Lula e Bolsonaro nos EUA?

Quem ainda está no país norte-americano é Bolsonaro. Após os ataques terroristas promovidos por apoiadores dele no Brasil, parlamentares americanos chegaram a cobrar a expulsão dele do país estrangeiro.

Após os atos antidemocráticos, o ex-mandatário brasileiro chegou a ser internado com dores abdominais, mas deixou o hospital pouco tempo depois, e segue sendo acompanhado por médicos.

Segundo informações obtidas pelo site Poder360, Bolsonaro ainda não definiu a data de retorno ao Brasil.

Ele está hospedado na casa de férias do ex-lutador de MMA José Aldo, na cidade de Kissimmee, a cerca de 35 km de Orlando, no Estado da Flórida. O ex-chefe do Executivo viajou acompanhado da ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da filha Laura, de 12 anos no dia 30 de dezembro, antes mesmo do fim do mandato dele e da posse de Lula.

Nesta semana, ele apareceu em vídeos conversando com apoiadores nos EUA. Na ocasião, classificou os atos do dia 8 de janeiro como lamentáveis e 'inacreditáveis'.