Lula e Bolsonaro revezam primeira colocação em performance digital entre políticos, na frente de Biden e Macron

·2 minuto de leitura

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputam sozinhos a liderança no índice de performance digital desde o início de 2021. A partir da análise das redes sociais, veiculação de notícias na imprensa e comportamento de acessos nos sites oficiais dos políticos, entre janeiro e maio deste ano, a Zeeng, plataforma de Big Data Analytics, indica que ambos também aparecem à frente de outros líderes mundiais como os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da França, Emmanuel Macron.

A partir de uma base de dados com mais de 1.500 atores políticos rastreados, Lula assumiu a dianteira principalmente entre os meses de fevereiro e março, período que antecedeu o julgamento do ex-presidente no Supremo Tribunal Federal (STF) - que anulou as condenações na Lava-Jato e devolveu os direitos políticos ao petista - e a análise da Corte sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro. Após uma disputa acirrada no mês de abril, Bolsonaro recuperou a liderança em presença digital em maio.

— Quando olhamos para as três vertentes analisadas (web analytics, notícias e redes sociais), podemos ver um destaque para o Bolsonaro em web analytics e notícias, enquanto Lula vem se destacando nas redes sociais. Assim como outros estudos, nosso estudo revela a força de Lula nas redes, mas quando analisamos a performance como um todo, Bolsonaro ainda se destaca entre janeiro e maio — afirma Eduardo Prange, CEO da Zeeng.

De acordo com o levantamento, o site de Lula estava melhor ranqueado nos mecanismos de busca até março de 2021, quando foi ultrapassado por Bolsonaro. Quanto à presença na imprensa, ambos performaram de forma bastante parecida, com pouca variação ao longo dos meses. Já nas redes sociais, Lula possui maior eficiência desde fevereiro deste ano.

Quando analisado o chamado ativo social, dados referentes à quantidade de seguidores, fãs e inscritos nas redes sociais, Bolsonaro tem larga vantagem em todas as plataformas. Entre Facebook, Twitter, Instagram e Youtube, o maior destaque é na plataforma de vídeos, onde Bolsonaro tem o equivalente a 91% do ativo social, e Lula apenas 9%. Mesmo com o crescimento constante nas redes dos políticos, Bolsonaro ainda representa a maior base, com uma diferença de 29 milhões de seguidores.

A plataforma mais utilizada por Bolsonaro e Lula é o Facebook, representando 35% das publicações realizadas no período analisado, seguido pelo Twitter, com 34%. Em uma média, levando em consideração as postagens dos dois políticos, a cada dez posts, seis são de Bolsonaro e quatro de Lula.

— A rede mais utilizada por eles, não necessariamente representa a que mais engaja. Ao analisar todas as redes, o Facebook ainda produz muito mais engajamento que o Twitter. Lá eles têm muito mais eco e reverberação de conteúdo produzido. O Twitter acaba funcionando melhor na perspectiva da interação direta, em que vemos participação ativa dos atores políticos. Mas ainda assim, é no Facebook onde eles conseguem produzir mais engajamento — explica Prange.