Lula e Bolsonaro sobem e ampliam distância de 2º pelotão, mostra Ipespe

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Lula e Bolsonaro ocupam as primeiras posições (Fotos: Ricardo Stuckert e Isac Nóbrega/PR)
Lula e Bolsonaro ocupam as primeiras posições (Fotos: Ricardo Stuckert e Isac Nóbrega/PR)
  • Lula alcançou 45%, maior percentual desde o início da série

  • Bolsonaro alcançou 31% das intenções de voto na pesquisa

  • Ciro aparece em terceiro com 8% e Doria em quarto, com 3%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) oscilaram positivamente dentro da margem de erro em nova rodada de pesquisa do instituto Ipespe divulgada nesta sexta-feira (22), e ampliaram sua vantagem em relação aos demais candidatos.

Ambos tiveram variação de 1 ponto percentual dentro da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais. Lula subiu para 45% das intenções de voto, maior percentual registrado desde o início da série, enquanto Bolsonaro foi a 31%.

Ciro Gomes (PDT) aparece em terceiro, com 8% — no início de abril o pré-candidato marcava 9%. Já o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) vem em seguida com os mesmos 3% de outrora. Aparecem na sequência, com 2%, a senadora Simone Tebet (MDB) e o deputado André Janones (Avante).

Na simulação de segundo turno, Lula mantém seus 20 pontos percentuais de vantagem em relação a Bolsonaro, mas ambos também avançaram 1 ponto percentuais em suas marcas. O petista passa a computar 54%, enquanto o presidente registra 24%.

Avaliação do governo Bolsonaro

A parcela dos entrevistados que consideram a gestão de Bolsonaro ruim ou péssima oscilou de 54% para 52%. Aqueles que a avaliam como ótima ou boa subiram dentro da margem de 29% para 30%. O grupo que a avaliam como regular passa a 16%, ante 15% na pesquisa anterior.

Ainda segundo o levantamento, 62% desaprovam o governo, frente os 63% do início de abril. A aprovação passou de 33% a 34%.

Ao todo, a pesquisa entrevistou 1 mil pessoas em todo o território nacional, entre os dias 18 e 20 de abril.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos