Lula e Bolsonaro têm primeiro confronto em debate

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - O ex-presidente Lula participa do lançamento do livro de fotos de Ricardo Stuckert no Memorial da América Latina, em São Paulo. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - O ex-presidente Lula participa do lançamento do livro de fotos de Ricardo Stuckert no Memorial da América Latina, em São Paulo. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHARPESS) - No primeiro debate entre candidatos à Presidência nas eleições de 2022, neste domingo (28), os líderes da corrida ao Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), tiveram embates diretos.

No primeiro bloco, Bolsonaro perguntou a Lula se ele queria voltar ao poder para "continuar a corrupção na Petrobras". Lula respondeu: "Era preciso ser ele a me perguntar, e eu sabia que essa pergunta viria". Na sequência, o petista citou medidas anticorrupção e de transparência do seu governo.

Bolsonaro citou então a delação de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil com Lula, e disse que o governo petista foi feito "a base de roubo". "Seu governo foi o mais corrupto da história."

Lula, por sua vez, não rebateu diretamente à crítica e afirmou que seu governo foi o que gerou mais emprego, inclusão, investimento na educação e lucro para a Petrobras. Citou ainda o menor desmatamento na Amazônia e o reassentamento de terras. "O país que eu deixei é um país que o povo tem saudade", disse o ex-presidente, acusando Bolsonaro de "destruir o país" e "inventar números".

Além dos líderes das pesquisas de intenção de voto, participam Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Luiz Felipe d'Avila (Novo) e Soraya Thronicke (União Brasil), de partidos com representantes na Câmara.

O debate, organizado em pool por Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura, quase ficou sem seus protagonistas. Bolsonaro vinha repetindo que só participaria de eventos do tipo em eventual segundo turno, enquanto Lula, ao antecipar problemas de agenda, chegou a sugerir que as emissoras se organizassem em pool de órgãos de imprensa para os debates, o que ocorreu com o consórcio.

De acordo com a pesquisa Datafolha mais recente, realizada de 16 a 18 de agosto, o petista aparece à frente, com 47% das intenções de voto, contra 32% do atual presidente. Assim, a distância entre os candidatos, que já foi de 21 pontos percentuais, em julho, agora é de 15.