Lula e Janja: do namoro durante a prisão ao beijo na posse; relembre como o casal se conheceu

O presidente recém-empossado Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama, sua mulher Rosângela da Silva, a Janja, são velhos conhecidos da militância do PT, partido do qual a socióloga é filiada há décadas. O romance do casal que se beijou no palco do "Festival do Futuro" neste domingo, no entanto, começou no final de 2017 e se manteve durante toda a prisão de Lula em Curitiba, que começou em abril do ano seguinte e foi até novembro de 2019.

Lula encontrará 15 chefes de governo e de Estado e irá ao funeral de Pelé em seu primeiro dia de governo

Decreto de Lula diminui número de armas permitidas a cada cidadão; veja o que muda

Lula e Janja começaram a se aproximar na véspera do Natal de 2017, durante evento de inauguração do campo de futebol "Dr. Sócrates Brasileiro", na Escola Nacional Florestan Fernandes do MST, em Guararema, São Paulo. Lula participou da partida de futebol entre "amigos de Chico Buarque" e "veteranos do MST", no time de Buarque, fez um gol de pênalti e chegou a ser expulso de campo pelo árbitro Juca Kfouri.

— Olha, final de 2017, o MST fez um jogo e o Chico Buarque ia jogar. Eu falei assim: ‘Preciso ir nesse jogo’. Acabei indo. Foi muito emocionante porque eu queria muito ver o Chico Buarque. Nos sentamos para almoçar, todos os convidados. Depois, ele [Lula] pediu o meu telefone para alguém, eu recebi ali e foi indo. Fomos nos aproximando. — disse Janja em entrevista ao Fantástico, em novembro do ano passado.

Depois, durante a prisão de Lula em Curitiba, Janja o visitava frequentemente e o casal costumava trocar muitas cartas. Em maio do ano passado, durante a pré-campanha de Lula à presidência, eles se casaram, em São Paulo. A união repercutiu internacionalmente.

A Bloomberg destacou que o casamento "aumenta as credenciais" de Lula como "homem de família" em pleno ano eleitoral. A agência de notícias também afirmou que o matrimônio "o ajudará a rejuvenescer sua imagem, ao mesmo tempo em que aumentará seu apelo entre os eleitores mais conservadores".

O casal sempre foi adepto das declarações públicas de amor. Em setembro, durante comício em Ipatinga, Minas Gerais, e com a presença de Janja, Lula confessou que ficou mais apaixonado por ela enquanto estava preso.

— Vocês viram essa moça que cantou? Ela é minha mulher. Essa moça... Eu fiquei mais apaixonado por ela quando eu estava preso. Eu e ela escrevemos 580 cartas. Todos os dias eu mandava uma carta para ela, e todo dia ela mandava uma carta para mim — contou Lula.

Neste domingo, no dia da posse, o beijo do casal no palco do "Festival do Futuro" repercutiu muito nas redes sociais. Além do beijo de Lula e Janja, o presidente também sugeriu que o seu vice, Geraldo Alckmin, fizesse o mesmo e beijasse sua mulher, Lu Alckmin. "Governo Lula começou com muito beijo! Vai, Brasil!", escreveu um internauta. Muitas pessoas se lembraram da declaração de Lula em outubro do ano passado, quando o então candidato à Presidência disse que, no seu governo, todo mundo iria namorar.