Lula evita assumir compromisso sobre mulheres no 1º escalão de seu eventual governo

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Lula (PT), ao ser questionado sobre se comprometer a indicar mulheres para metade de seu ministério, afirmou que não assumiria esse compromisso.

Ele afirmou que indicará "as pessoas que tem capacidade para assumir determinados cargos".

"O que não dá é para assumir o compromisso numericamente. [...] Não vou assumir compromisso, porque se não for possível passarei por mentiroso", disse ele.

Já Simone Tebet (MDB) assumiu o compromisso. Disse ainda que pessoas envolvidas em corrupção, mesmo do seu partido, não serão ministras.

Pergunta sobre mulheres irritam bolsonaristas

As questões, sobretudo elaboradas por jornalistas na terceira parte do debate, foram reprovadas pelos apoiadores de Jair Bolsonaro (PL).

Na ala destinada ao PL, no lounge, candidatos como Adrilles Jorge e Daniel Silveira, além de Nikolas Ferreira, ironizavam a atuação dos jornalistas que queriam saber o papel reservado às mulheres em seus respectivos governos.

"Perguntar isso novamente", disse Adrilles.

Quando Lula pediu para ser solidário a Simone Tebet e a Vera Magalhães, Adrilles e Ferreira o acusaram de oportunista. "Virou palanque", disse Ferreira.