Lula exibiu imagem com a rainha em sua campanha à reeleição

SÃO PAULO, SP, 19.09.2022 - O ex-presidente e candidato à Presidência da República pelo PT, Lula, participa de encontro com ex-presidenciáveis no Hotel Gran Mercure, na zona sul de SP, na manhã desta segunda-feira (19). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 19.09.2022 - O ex-presidente e candidato à Presidência da República pelo PT, Lula, participa de encontro com ex-presidenciáveis no Hotel Gran Mercure, na zona sul de SP, na manhã desta segunda-feira (19). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Embora sua coligação tenha acionado o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para impedir o presidente Jair Bolsonaro (PL) de usar imagens da ida ao funeral da rainha Elizabeth 2ª, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou uma foto ao lado da monarca em seu programa eleitoral em 2006, quando foi candidato à reeleição.

Na foto, Lula aparece em pé ao lado da rainha enquanto um narrador faz uma comparação com o passado do então presidente antes de se eleger.

"O Lula que vendia tapioca e amendoim em São Paulo e hoje sai pelo mundo para promover a agricultura, a indústria e os produtos brasileiros trazendo emprego e desenvolvimento para o Brasil", afirma.

Nesse momento, ele aparece ao lado de outras lideranças globais da época, como o ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush (2001-09) e o ex-presidente da Coreia do Sul Roh Moo-hyun (2003-08).

Neste domingo (18), a coligação de Lula entrou com uma representação no TSE para impedir que Bolsonaro exiba quaisquer imagens de sua viagem a Londres.

Na viagem, Bolsonaro fez um discurso a apoiadores, comparou os preços dos combustíveis aos do Brasil e compareceu à cerimônia religiosa oficial de despedida da rainha.

Em nota, a assessoria de Lula afirmou que "uma coisa é mostrar atos bem-sucedidos de governo e diplomacia, que Bolsonaro não tem".

"Outra é no meio da campanha eleitoral levar seu coordenador de comunicação para viajar para o exterior para gerar imagens as custas do erário público", declarou.