Lula faz reunião ministerial após divergências públicas entre ministros

Lula e todo seu ministério é fotografado após a posse

Por Lisandra Paraguassu e Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva marcou para a próxima sexta-feira sua primeira reunião ministerial, onde pretende iniciar a articulação do governo, após divergências públicas entre ministros.

A decisão sobre o encontro ministerial foi tomada na noite de terça-feira, durante uma reunião com o ministro da Casa Civil, Rui Costa.

"A reunião é para um alinhamento das ações de governo e alinhamento de procedimentos, garantindo uma ação coordenada e articulada da gestão, garantindo governança transversal. Garantindo método, diretrizes e que haja transversalidade do governo", disse Costa a jornalistas, antes da cerimônia de posse de Marina Silva no comando do Ministério do Meio Ambiente.

O encontro ministerial já estava previsto --na semana passada, Lula havia dito que pretendia fazer uma reunião ministerial logo depois da posse--, mas deverá servir para o presidente aparar arestas após recentes divergências públicas entre ministros.

Logo no primeiro dia de governo, Lula renovou isenção tributária sobre combustíveis apesar de o ministro da Fazenda, Fernando Haddad haver pedido ao governo anterior para não renovar a medida que se encerraria no fim do ano passado.

Já nesta quarta-feira os ministros da Casa Civil, Rui Costa, e das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, negaram que o governo esteja estudando rever a reforma previdenciária aprovada em 2019, depois que o ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, criticou na véspera o que chamou de "antirreforma", sinalizando que poderia discutir mudanças.

De acordo com uma fonte, Lula também deve pedir aos ministros que preparem medidas em cada área que possam ser adotadas nos primeiros 100 dias de governo para começar a destravar o país, especialmente nas áreas de infraestrutura e ações sociais.

ENCONTRO COM GOVERNADORES

Mais para o final do mês, no próximo dia 27, o presidente vai se reunir com os governadores dos 26 Estados e do Distrito Federal no Palácio do Planalto para discutir uma agenda federativa de interesse comum, cumprindo assim umas das promessas mais repetidas na campanha.

"A pauta é o retorno das relações federativas da União com os Estados e municípios que ficou paralisada todos esses anos e vamos institucionalizar o retorno, estabelecer o fluxo", disse Costa.

Segundo o ministro, antes disso, Lula vai viajar a um Estado brasileiro --que ainda não está definido -- e fará sua primeira viagem internacional, para a Argentina.

Costa disse que a intenção do encontro é dar "maior eficiência" no ato de governar, com os governadores trazendo demandas ao Executivo Federal.

O ministro disse ainda que é possível que, antes desse encontro, haja uma reunião preparatória com a presença do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, com as regiões, os consórcios regionais.

Questionado se no encontro com os governadores haverá a discussão de projetos de infraestrutura, o ministro disse que sim. "Vamos conversar sobre todas as possibilidades no dia 27. Teremos reuniões regulares, não uma reunião, queremos reuniões por temas", destacou.