Lula: "fico triste quando vejo as Forças Armadas batendo continência para Bolsonaro"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O ex-presidente e candidato presidencial do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva fala durante um comício de campanha em São Paulo, Brasil, sexta-feira, 27 de maio de 2022. As eleições gerais do Brasil estão marcadas para 2 de outubro de 2022. (Foto: AP Photo/Andre Penner)
O ex-presidente e candidato presidencial do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva fala durante um comício de campanha em São Paulo, Brasil, sexta-feira, 27 de maio de 2022. As eleições gerais do Brasil estão marcadas para 2 de outubro de 2022. (Foto: AP Photo/Andre Penner)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, neste sábado (18), que fica “triste” em ver que a relação entre as Forças Armadas e o presidente Jair Bolsonaro (PL). A fala do petista aconteceu neste sábado (18) durante ato da pré-campanha em Aracaju (SE).

Na oportunidade, Lula lembrou que Bolsonaro foi expulso do Exército.

“Eu fico triste, [senador Jacques] Wagner, você foi ministro da Defesa. Fico triste quando vejo as Forças Armadas batendo continência para um cara que foi expulso do Exército brasileiro por mau comportamento. Não é possível”, alegou o pré-candidato.

Bolsonaro foi afastado para a reserva do Exército em 1988 depois de a revista Veja noticiar que ele planejava um atentado a bomba para pressionar por aumentos salariais.

O petista também fez uma série de críticas ao chefe do Executivo e afirmou que Bolsonaro não foi bem-educado. “Ele é de uma geração em que as pessoas pobres colocavam os filhos para servir ao Exército para que o filho aprendesse a ser homem”, declarou o petista.

O ato em Sergipe (SE) reuniu o senador Rogério Carvalho (PT), pré-candidato ao Governo de Sergipe, além da comitiva da pré campanha de Lula composta pelo ex governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB), que será seu vice na chapa presidencial, pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e pela socióloga Rosângela da Silva, a Janja, sua esposa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos