Lula ficou em quarentena por covid-19 durante estadia em Cuba

·2 minuto de leitura
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 18 de fevereiro de 2020 em Brasília

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi diagnosticado com covid-19 ao chegar a Cuba em dezembro e ficou de quarentena na ilha, de onde voltou já curado na quarta-feira, revelou o Instituto Lula nesta quinta (21).

O ex-presidente (2003-2010), de 75 anos, viajou para Havana no dia 21 de dezembro para participar de um documentário sobre a América Latina dirigido pelo cineasta americano Oliver Stone. Mas o diagnóstico do novo coronavírus, que recebeu no dia 26, obrigou-o a adiar as gravações, disse seu instituto.

Oito dos nove integrantes da comitiva de Lula, incluindo sua esposa, Janja, receberam o mesmo diagnóstico, mas apenas um deles, o escritor Fernando Morais, precisou de internação.

As análises epidemiológicas mostraram que eram todos "casos importados" do novo vírus, acrescentou o Instituto Lula, especificando que o ex-presidente decidiu manter as informações em sigilo até retornar ao Brasil "para preservar sua família e dos demais infectados".

Com exceção de Morais, todos "permaneceram em isolamento sob vigilância sanitária, respeitando os protocolos do sistema de saúde cubano”, afirmou a nota.

No período infeccioso, a tomografia computadorizada de Lula detectou "lesões pulmonares compatíveis com broncopneumonia associada à covid-19, apresentando excelente recuperação".

Ao final da viagem, já livre do vírus, Lula foi recebido na terça-feira pelo líder do Partido Comunista de Cuba, Raúl Castro, assim como pelo presidente Miguel Díaz-Canel, em encontro divulgado pela imprensa.

Lula agradeceu a atenção recebida na ilha, disse estar disposto a se vacinar o mais rápido possível e criticou a atitude cética do presidente Jair Bolsonaro em relação à gravidade da pandemia e à eficácia das vacinas.

O petista também elogiou o sistema público de saúde cubano e afirmou: “Quero estender as minhas saudações a todos os profissionais de saúde que se esforçam para fazer o mesmo aqui no Brasil, apesar da irresponsabilidade do presidente da República e do ministro da Saúde”.

O Brasil, com 211,8 milhões de habitantes, é o segundo país com mais mortes pela covid-19, com total de quase 213 mil óbitos até a quarta-feira e média de 1.001 falecimentos por milhão de habitantes.

Cuba contabiliza 184 mortes até o momento, com uma média de 16 mortes por milhão de habitantes, segundo dados oficiais de cada país coletados diariamente pela AFP. A ilha tem uma população de 11,2 milhões de habitantes.

js/raa/am/mvv