Lula já sabe o que falar aos evangélicos sobre aborto

Lula em São Bernardo do Campo, no domingo, 4 de setembro de 2022 (Foto: Paulo Lopes/Anadolu Agency via Getty Images)
Lula em São Bernardo do Campo, no domingo, 4 de setembro de 2022 (Foto: Paulo Lopes/Anadolu Agency via Getty Images)

Na sexta-feira (9), o ex-presidente e candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, se encontrará com lideranças evangélicas no Rio de Janeiro e já sabe o que dirá aos fiéis sobre o aborto.

De acordo com a coluna do jornalista Igor Gadelha, do portal Metrópoles, o petista quer reforçar que é pessoalmente contra o prática, além de ressaltar que é pai, avô e bisavô e que não é a favor do aborto.

O que o ex-presidente quer explicar é que defende que as pessoas pobres que forem “vítimas de aborto” possam ser tratadas na rede de saúde.

O aborto é um tema delicado na campanha de Lula, que visa ganhar votos dos evangélicos.

Em abril, quando o petista defendeu que toda a mulher deveria ter direito ao aborto no país, por questão de saúde pública, ele foi criticado não só por evangélicos, como também por católicos e aliados que acreditavam que a declaração podia prejudicá-lo na eleição.

Ainda segundo a coluna do jornalista Igor Gadelha, durante o encontro com lideranças evangélicas, o petista quer falar sobre outros assuntos da "pauta de costumes" e desmentir as notícias falsas de que vai fechar igrejas e templos caso saia vitorioso do pleito de outubro.