Em 2022, tradicional jingle de Lula terá “Lula Já” no lugar de “Lula lá”

·2 min de leitura
Foto: REUTERS/Carla Carniel
Foto: REUTERS/Carla Carniel

A campanha de Lula (PT) para a presidência da República em 2022 já tem slogan e jingles definidos. Serão feitas atualizações de campanhas anteriores, no slogan o “Lula lá” será trocado por “Lula já”. 

Além disso, o termo “Lular” será usado para reforçar a ideia de que o novo cenário político favorece a aceitação ao petista, a informação é da jornalista Malu Gaspar que teve acesso ao material.

A campanha, que atende uma demanda dos próprios apoiadores de Lula, também terá outras edições na letra do tradicional jingle. Usado desde 1989, a nova versão trará “O Brasil tem pressa" no lugar de "Brilha uma estrela" e a adição de frases como "para quê arriscar" e "chama logo o homem", junto com referências ao combate à fome.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus e-mails em 1 só lugar

Na noite de domingo (19), o ex-presidente e Geraldo Alckmin (sem partido), ex-governador de São Paulo, se encontraram em um jantar na capital paulista. Na ocasião, Alckmin admitiu a possibilidade de ser candidato a vice-presidente de Lula, que deve anunciar a sua candidatura em março de 2022.

Lula diz não temer golpe de Bolsonaro em 2022

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

O ex-presidente Lula (PT) afirmou que, caso Jair Bolsonaro (PL) perca a eleição presidencial em 2022, terá de respeitar a lei e ir “quietinho para casa” – assim como o petista fez nas ocasiões em que perder a corrida eleitoral, como em 1989, 1994 e 1998.

“Ele terá que obedecer (a lei) como eu tenho que obedecer. Ele vai perder e vai quietinho para casa, vai lamber suas feridas como eu fui muitas vezes que eu perdi as eleições e deixar a gente governar esse país com tranquilidade”, declarou o petista em entrevista à agência Reuters.

Ainda sobre a disputa com o atual presidente, Lula negou que o cenário seja de polarização entre os dois. “Não tem polarização entre Lula e Bolsonaro. Tem polarização entre Bolsonaro e os outros. Eu tenho quase metade dos votos do povo brasileiro, ele tem menos da metade do que eu tenho, como eu estou polarizando com ele? Não tem polarização entre mim e ele, polarização é entre ele, o Ciro, o Moro, as outras pessoas. Mas não fale em polarização comigo não que não existe”, avaliou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos