Lula lidera no primeiro turno com 44%, seguido de Bolsonaro, com 32%, mostra Ipec

28/08/2022 - Lula e Bolsonaro durante o primeiro debate presidencial na TV, neste domingo (28) na sede da Band.  (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress
28/08/2022 - Lula e Bolsonaro durante o primeiro debate presidencial na TV, neste domingo (28) na sede da Band. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece à frente com 44% das intenções de voto contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 32%, segundo pesquisa Ipec divulgada na noite desta segunda-feira (29).

Os resultados são os mesmos do levantamento anterior, realizado há duas semanas pelo instituto, portanto a diferença entre eles permaneceu em 12 pontos percentuais.

Em seguida, aparecem o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 7%, e a senadora Simone Tebet (MDB-MS), com 3%. Na outra enquete, feita nos dias 12 a 14 de agosto, os dois tinham 6% e 2% das intenções de voto, respectivamente.

O Ipec ouviu 2.000 brasileiros presencialmente nos domicílios entre sexta (26) e domingo (28), com margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código BR-01979/2022.

As entrevistas, encomendadas pela TV Globo, foram finalizadas antes do primeiro debate presidencial destas eleições, organizado por Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura na noite do domingo.

Captaram, porém, os efeitos do início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, liberada desde sexta, e as entrevistas de Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet ao Jornal Nacional ao longo da semana passada.

Outro candidato que pontuou no primeiro turno nesta rodada foi o cientista político Luiz Felipe d'Avila (Novo), com 1%. Os que pretendem votar em branco ou nulo somam agora 7% dos eleitores ouvidos, enquanto os indecisos são 6%.

O empresário Eymael (DC), o ativista social Leonardo Péricles (UP), , o coach e influenciador digital Pablo Marçal (Pros), o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), a professora Sofia Manzano (PCB), a senadora Soraya Thronicke (União Brasil) e a socióloga e líder sindical Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram.

Quando questionados sobre quem elegeriam no segundo turno, 50% dos entrevistados indicaram Lula e 37%, Bolsonaro. A diferença entre eles nessa questão variou de 16 para 13 pontos em relação à primeira pesquisa, quando os dois tinham 51% e 35%, respectivamente (dentro da margem de erro).

O levantamento também mostrou que 31% dos brasileiros consideram a gestão de Bolsonaro ótima ou boa (eram 29% há duas semanas). Outros 24% a veem como regular (eram 26%), 43% a acham ruim ou péssima (não mudou) e 2% não sabem ou não responderam.

Apontou ainda que 38% aprovam a maneira do presidente de governar, enquanto 57% a desaprovam. Na rodada anterior, a aprovação era de 37% e a reprovação, a mesma. Outros 5% não souberam responder.

O Ipec foi criado em fevereiro de 2021 por ex-executivos do Ibope Inteligência, que encerrou suas atividades em janeiro daquele ano em razão do término de um acordo de licenciamento com a Kantar Group.