Lula mira 2º turno e conversa com Tasso Jereissati e Cid Gomes no Ceará

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO BERNARDO DO CAMPO, SP, 10.03.2021 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante entrevista coletiva no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO BERNARDO DO CAMPO, SP, 10.03.2021 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante entrevista coletiva no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Depois de uma série de conversas com partidos aliados e líderes de legendas do centrão em sua viagem pelo Nordeste, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reuniu-se nesta segunda-feira (23) em Fortaleza com dois políticos de grupos adversários: os senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Cid Gomes (PDT-CE)

As conversas representam uma retomada de contato com os dois congressistas, atualmente no campo adversário ao petista nacionalmente, e miram um possível apoio no segundo turno das eleições de 2022 em caso de disputa direta com o presidente Jair Bolsonaro.

O encontro com Tasso aconteceu no escritório político do tucano, que é pré-candidato à Presidência pelo PSDB e disputará as prévias do partido, marcadas para novembro.

O petista publicou uma foto do encontro com Tasso em suas redes sociais e classificou a conversa como "um diálogo importante" sobre a democracia.

"Democracia no centro da discussão. Os democratas desse país têm a responsabilidade e o desafio de resgatar a civilidade na política brasileira pelo bem do Brasil", afirmou o petista. O tucano não fez menção ao encontro com Lula.

Em maio deste ano, Lula já havia se encontrado com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Neste mês, FHC anunciou seu apoio à pré-candidatura do governador de São Paulo, João Doria, que também disputará as prévias tucanas.

Lula também se reuniu nesta segunda com Cid Gomes, irmão do presidenciável Ciro Gomes (PDT). O encontro aconteceu na ala residencial do Palácio da Abolição, sede do governo cearense, e teve a presença do governador Camilo Santana (PT) e da presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

Esta foi a primeira vez que Lula e Cid se encontraram desde 2016. A reunião acontece no momento em que Ciro, que se movimenta para concorrer à Presidência pela quarta vez, subiu o tom das críticas ao petista.

Procurado pela Folha de S.Paulo após o encontro, Cid disse que atendeu ao pedido do ex-presidente para uma conversa em Fortaleza e que considerou o encontro absolutamente natural.

"Ele manifestou a sua preocupação, que é a mesma que eu tenho, com os arroubos de Bolsonaro na direção de ataques à democracia. E falou da necessidade de ações suprapartidárias para se contrapor a isso", disse o senador.

Os dois também falaram sobre a provável candidatura de Ciro à Presidência no próximo ano e as reiteradas críticas do pedetista a Lula.

"Ele disse que compreende a posição do Ciro. Chegou até a dizer que se fosse Ciro que estivesse à frente nas pesquisas, ele [Lula] que estaria criticando", disse Cid.

No último sábado (21) Lula já havia dito que está aberto a conversar com qualquer pessoa que aceite encontrá-lo, incluindo Ciro Gomes.

"Minha mãe me dizia para não brigar, por isso se um não quer, dois não brigam. Estou aberto a conversar com quem quiser falar comigo. Respeito muito o Ciro, mas entendo que meus adversários me critiquem. Se ele for na televisão e falar bem, eu ganho a eleição", disse Lula.

O cenário eleitoral do Ceará também esteve na pauta do encontro entre Lula e Cid Gomes. O senador reiterou o desejo de manutenção da aliança local entre PT e PDT, e o ex-presidente afirmou que não seria um obstáculo.

No fim do seu segundo mandato como governador, Santana será candidato ao Senado. Nesta composição, caberia ao PDT indicar o candidato ao Governo do Ceará na chapa. O nome do ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, é o mais cotado.

A manutenção da aliança enfrenta resistência de setores do PT cearense, que defendem que a sigla tenha candidatura própria e um palanque exclusivo para Lula no estado. O deputado federal José Airton Cirilo colocou seu nome à disposição para concorrer ao governo.

Lula segue ainda nesta segunda para Natal. Na quarta-feira (25), o petista desembarca em Salvador, último destino de sua viagem pelo Nordeste.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos