Lula no Jornal Nacional: Bolsonaro quer acionar TSE se for chamado de 'genocida'

Os advogados de Bolsonaro estarão de olho na sabatina de Lula no Jornal Nacional e querem uma nova vitória contra o petista na Justiça Eleitoral. (Foto: REUTERS/Carla Carniel)
Os advogados de Bolsonaro estarão de olho na sabatina de Lula no Jornal Nacional e querem uma nova vitória contra o petista na Justiça Eleitoral. (Foto: REUTERS/Carla Carniel)

Os advogados da campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) estarão atentos ao Jornal Nacional desta quinta-feira (25). A intenção do núcleo jurídico é ver cada menção que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sabatinado da noite, possa fazer ao atual governante.

Segundo a coluna de Malu Gaspar, do O Globo, o objetivo é rastrear “excessos verborrágicos atentatórios à liberdade de expressão, notadamente imputação de crimes, discurso de ódio e disseminação de informações falsas” durante a entrevista do petista.

Assim, se Lula chamar Bolsonaro de “genocida” ou “miliciano” durante a participação no programa, os advogados entrarão com novas ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o candidato.

No último dia 10 de agosto, o núcleo jurídico de Bolsonaro conseguiu uma vitória contra a campanha petista. Uma decisão do ministro Raul Araújo, do TSE, determinou a remoção de vídeos em que Lula chama o atual chefe do Executivo de “genocida”.

A decisão do ministro, segundo a coluna, foi criticada por integrantes do TSE que avaliam que ela ameaça a liberdade de expressão.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

A estratégia da equipe jurídica do atual presidente da República é fazer frente às sucessivas ações apresentadas pelo PT e Lula contra Bolsonaro.

No caso da campanha petista, há o investimento em ações mesmo que elas tenham pouca chance de serem atendidas, mas que sirvam para serem utilizadas na comunicação durante a campanha.

SABATINA DO JORNAL NACIONAL

O Jornal Nacional, da TV Globo, realiza tradicionalmente a sabatina de perguntas com os candidatos à Presidência da República mais bem colocados nas pesquisas eleitorais.

A condução dos questionamento é feita pelos apresentadores do Jornal Nacional: William Bonner e Renata Vasconcellos. As entrevistas ocorrem nos estúdios da Globo no Rio de Janeiro.

A sabatina pela qual os candidatos serão submetidos é considerada fundamental por estrategistas das campanhas, que veem uma boa possibilidade de conseguir "furar a bolha" e expor suas ideias no telejornal de maior audiência do país. As sabatinas do Jornal Nacional preveem 40 minutos de participação de cada candidato.

Veja como foi a sabatina de Jair Bolsonaro no Jornal Nacional

Veja como foi a sabatina de Ciro Gomes no Jornal Nacional

O primeiro presidenciável entrevistado foi o atual presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL). Bolsonaro abriu a série de entrevistas na segunda-feira (22). Ciro Gomes, do PDT, foi o entrevistado de terça (23). Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participa nesta quinta (25) e Simone Tebet (MDB) fechará a série, na sexta (26).

A seleção dos candidatos teve por base as cinco melhores colocações na pesquisa eleitoral divulgada pelo Datafolha em 28 de julho: Lula, Bolsonaro, Ciro, Tebet e André Janones (Avante). Janones, no entanto, decidiu retirar sua candidatura.

A ordem das entrevistas e as datas foram decididas em um sorteio realizado em 1º de agosto com representantes dos partidos.