Lula pede desculpas à Argentina por grosserias de Bolsonaro e quer 'relação de paz'

Presidente disse que está retomando "uma relação que nunca deveria ter sido cortada"

Lula e Alberto Fernández, presidente da Argentina (Reprodução)
Lula e Alberto Fernández, presidente da Argentina

(Reprodução)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prometeu nesta segunda-feira (23) que vai trabalhar para que, ao final do seu mandato, as relações entre Brasil e Argentina sejam as melhores da América Latina.

A declaração foi feita na Casa Rosada, sede do governo argentino, logo após a assinatura de acordos de cooperação entre os dois países.

“Hoje é a retomada de uma relação que nunca deveria ter sido cortada. A minha presença é para dizer ao meu amigo Alberto Fernández que nós vamos reconstruir aquela relação de paz, aquela relação produtiva e avançada de dois países que nasceram para crescer, se desenvolver e gerar melhores condições de vida a seu povo”, afirmou.

Lula também aproveitou para se desculpar pelas declarações feitas por Jair Bolsonaro (PL) durante a gestão anterior.

“Peço desculpas pelo último presidente do Brasil, que trato como genocida por causa da pandemia, pelas ofensas que fez a Fernández. Eu quero afirmar, amigo e presidente da Argentina, que o Brasil está outra vez de braços abertos para acolher os companheiros argentinos. No negócio, na cultura, no futebol e na manutenção da relação de amizade que temos há tantos anos”.

Em discurso, Lula ainda lembrou:

  • Do gesto de carinho de Fernández ao visitá-lo na época em que estava detido na Polícia Federal;

  • Da ampliação das relações comerciais entre Brasil e Argentina durante os governos petistas;

  • Da necessidade dos empresários de ambos os países valorizarem a relação Brasil-Argentina;

  • Da importância de manter relações não apenas políticas, como culturais e científico tecnológicas.

“Hoje é o começo de uma grande história. A Argentina será tratada com carinho e respeito que sempre mereceu. Nem o futebol nos dividirá [....] Nós seremos parceiros em todas as horas”, afirmou.

Alberto Fernández. O presidente argentino também discursou na cerimônia. Ele elogiou o amigo petista, citando iniciativas de combate à fome implementadas nos dois primeiros mandatos dele, e afirmou que Brasil e Argentina têm “muitos desafios parecidos”.

“Estamos dando origem a um vínculo muito mais profundo do que tínhamos e que vai durar pelas próximas décadas. Todos conhecem o carinho e admiração profundos que tenho por Lula. Sinto que agora, com Argentina e Brasil completando 200 anos de relações comerciais e fraternas, estamos começando uma nova etapa”, apontou.

Fernández ainda citou que as nações vão trabalhar para resolver os “mesmos problemas de antes”, já que “pelo Brasil passou [Jair] Bolsonaro e pela Argentina passou [Mauricio] Macri”, em clara crítica a ambos os ex-presidentes.

Também afirmou que, juntos, os mandatários irão:

  • Ajudar a consolidar a democracia e instituições;

  • Impedir que qualquer “fascista se aposse da soberania popular”;

  • Potencializar a importância do Mercosul;

  • Voltar a discutir sobre a Sur, moeda comum de transações comerciais;

  • Conversar amanhã com todos os líderes do continente para fortalecer as relações.

“Nossos povos querem bem-estar e justiça e vamos continuar trabalhando nesse sentido”, garantiu.

Objetivos. Esta é a primeira viagem internacional de Lula desde que assumiu o novo mandato. O petista viajou para o país vizinho no domingo (22). No Twitter, ele afirmou que a viagem serve para retomar a parceria entre o Brasil e a Argentina.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Agenda. Na manhã de hoje, Lula participou de uma oferenda de flores na Plaza San Martín. Depois, ao lado da esposa, Janja, se reuniu com Alberto Fernández. O presidente brasileiro também deve se reunir com empresários e, à noite, ir a um concerto musical no Centro Cultural Kirchner.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

'País irmão'

Lula publicou nas redes sociais uma foto ao lado do amigo e presidente argentino. Na legenda, o petista afirmou que a Argentina é um “país irmão do Brasil”, e disse que vão trabalhar juntos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Encontro com Maduro

Lula não se reunirá mais com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na Argentina. Segundo assessores do presidente, o cancelamento do encontro foi decidido pelo governo venezuelano. O motivo não foi informado.

Os dois estão em Buenos Aires para a reunião de cúpula da Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), marcada para acontecer na terça-feira (24).