Lula pede a eurodeputados ajuda para explorar biodiversidade na Amazônica, caso seja eleito

Lula se reúne com integrantes do Parlamento Europeu em São Paulo

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - Em um encontro com deputados do Parlamento Europeu, nesta segunda-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu ajuda da União Europeia para explorar o potencial econômico da biodiversidade da Amazônia, no caso de ser eleito novamente presidente.

Lula defendeu que, embora o país seja o dono do território da Amazônia, precisa de parcerias para explorar economicamente a região para desenvolvê-la economicamente, sem prejudicar a floresta.

"O Brasil precisa compartilhar a pesquisa para que se possa descobrir tudo que tem de riqueza naquela região. O Brasil não vai se fechar em copas, o Brasil pretende construir parcerias com muitos países", disse Lula.

"A Amazônia é de interesse de sobrevivência da humanidade e portanto todos têm responsabilidade para cuidar. A gente não quer transformar a Amazônia em um santuário da humanidade, a gente quer explorar a Amazônia naquilo que biodiversidade possa oferecer."

Lula tem dito que o país não precisa derrubar uma árvore a mais para crescer economicamente, mas que é necessário encontrar formas de desenvolver economicamente a região com a floresta em pé, para garantir o sustento dos 30 milhões de moradores da área da floresta amazônica.

Entre as alternativas, cita o ex-presidente, está o desenvolvimento de pesquisas nas áreas de fármacos e cosméticos que usem produtos amazônicos sem destruir a floresta.

"Vai ficar muito claro, se eu ganhar as eleições, que o Brasil precisa de ajuda da UE. Nós precisamos de ajuda, precisamos de parceria, seja do ponto de vista de investimento, de troca de ciência e tecnologia, da participação na construção de um mundo efetivamente limpo", disse Lula.