Lula planeja aumentar número de ministérios, com a volta de pastas extintas

***ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP- 09/07/2022 - Evento de pre campanha de Lula, com a presença de Alckmin, Haddad e Marcio França.. Na foto, Lula com a bandeira nacional. Ele afirmou hj que a partir de agora ira usar a bandeira brasileira e lodosos seus eventos. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress )
***ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP- 09/07/2022 - Evento de pre campanha de Lula, com a presença de Alckmin, Haddad e Marcio França.. Na foto, Lula com a bandeira nacional. Ele afirmou hj que a partir de agora ira usar a bandeira brasileira e lodosos seus eventos. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress )

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um eventual governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve registrar uma expansão no número de ministérios, com a recriação de diversas pastas extintas após a saída do PT do governo.

"Uma coisa que Lula já falou é que ele vai recriar o Ministério das Mulheres, do Combate ao Racismo e da Cultura e criar o dos Indígenas", diz o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), que tem atuado como interlocutor de Lula junto a agentes econômicos.

Outra novidade será no perfil demográfico da equipe. "Vai ter muito mais mulheres, negros e negras nos ministérios. A fotografia da equipe de 2023 será diferente da de 2003", afirma Padilha.

Integrantes da coordenação de campanha apostam que o petista vai reviver as pastas do Desenvolvimento e do Desenvolvimento Agrário, além de promover a cisão da Economia entre Fazenda e Planejamento. Também pode haver um ministério exclusivo para o combate à fome, tema que foi alçado a prioridade pelo petista.

Deve ainda haver a recriação do Conselhão, que reunia empresários, trabalhadores e representantes da sociedade civil, mas provavelmente sem status de pasta autônoma. Lula chegou a ter 39 ministérios, enquanto Bolsonaro conta atualmente com 23.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos