Lula planejou afagar Ciro Gomes em debate contra conselhos do PT

SÃO PAULO - SP - BRASIL - 28.08.2022 - 20h00: DEBATE ENTRE PRESIDENCIÁVEIS. O candidato a presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula ds SIlva, durante a entrada para o primeiro debate entre presidenciáveis.  (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
SÃO PAULO - SP - BRASIL - 28.08.2022 - 20h00: DEBATE ENTRE PRESIDENCIÁVEIS. O candidato a presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula ds SIlva, durante a entrada para o primeiro debate entre presidenciáveis. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O gesto de cordialidade de Lula (PT) em direção a Ciro Gomes (PDT) no debate presidencial de domingo (28) não foi feito de improviso —e contrariou estrategistas de sua campanha eleitoral que o aconselharam a tratar o pedetista com distância e frieza.

Antes do encontro na televisão, o ex-presidente já tinha decidido que lançaria uma ponte na direção de Ciro, e que esperaria apenas uma oportunidade para elogiá-lo no debate.

Ao responder a uma pergunta que seria comentada pelo pedetista, Lula disse que tinha "profundo respeito" pelo ex-governador e era grato por ele ter participado de seu governo e disse ter certeza de que os dois ainda irão conversar sobre uma aliança. Ciro respondeu com duras críticas aos governos petistas e dizendo que "infelizmente, o Lula se corrompeu mesmo".

Participaram os seis concorrentes mais bem colocados nas pesquisas de intenção de votos: Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL), Luiz Felipe d'Avila (Novo), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil).

Durante o debate, o presidente Jair Bolsonaro foi agressivo —em uma das respostas em que ficou irritado, atacou a jornalista Vera Magalhães e a candidata Simone Tebet. Elas foram defendidas por outras mulheres.

O ex-presidente Lula ficou na defensiva e Tebet foi o grande destaque —ela teve o melhor desempenho, segundo pesquisa qualitativa do Datafolha. Ciro Gomes apareceu na sequência no ranking de melhor desempenho, com pouco mais da metade do percentual alcançado pela emedebista. Ele foi seguido por Bolsonaro e Lula, que empataram. Os candidatos Luiz Felipe d’Avila e Soraya Thronicke foram os últimos a serem mencionados.

A pesquisa qualitativa do Datafolha ouviu 64 pessoas, que foram separadas em três salas virtuais enquanto assistiam ao debate. Elas analisaram a performance dos candidatos nos três blocos e, ao fim, elegeram quem se saiu melhor e pior. O levantamento não é representativo da população brasileira e buscou mostrar a percepção de eleitores indecisos sobre seu voto ou que pretendem votar em branco ou nulo em outubro.