Lula pode não ir a debates pressionado por tema corrupção

Brazil's former president Luiz Inacio Lula da Silva, presidential candidate of the Workers Party (PT), participates in the first Presidential Debate ahead of the national election, in Sao Paulo, Brazil, August 28, 2022. REUTERS/Carla Carniel
Brazil's former president Luiz Inacio Lula da Silva, presidential candidate of the Workers Party (PT), participates in the first Presidential Debate ahead of the national election, in Sao Paulo, Brazil, August 28, 2022. REUTERS/Carla Carniel
  • Lula: Estratégia é falar de corrupção nas redes e em entrevista, evitando o assunto em horário eleitoral em rádio e TV;

  • Integrantes avaliam que o candidato poderia ter aproveitado melhor a pergunta de Bolsonaro;

  • Candidato irá ao debate da TV Globo, afirma QG.

Após o debate promovido pela Bandeirantes neste domingo (29), integrantes da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão reavaliando a ida do candidato a outros encontros. Um dos motivos principais seria o tema da corrupção, trazido por Jair Bolsonaro (PL) em um dos blocos. O QG avalia que o Lula poderia ter aproveitado melhor a pergunta do atual presidente a respeito da Petrobras.

A campanha ainda irá decidir sobre participação do petista nos próximos debates presidenciais, com exceção do promovido pela TV Globo, o último antes do primeiro turno das eleições.

Embora seja um tema 'espinhoso', a cúpula pretende focar no tema de Economia caso compareça aos próximos debates. Segundo um integrante da cúpula do PT, Lula não pretende levar o debate "ao pântano" que, na opinião dele, seria uma zona de conforto para Bolsonaro. A estratégia é falar de corrupção nas redes e em entrevista, evitando o assunto em horário eleitoral em rádio e TV.

"Só interessa a quem não tem propostas ficar falando do passado", diz o advogado Cristiano Zanin, que integra a coordenação jurídica da campanha.

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), no entanto, afirmou nesta segunda-feira (29) que achou "satisfatória" a resposta que Lula deu a Bolsonaro no debate."Ele falou sobre os seus processos, falou o que aconteceu, que foi perseguido para não ser presidente da República. Acho que foi bem satisfatório."

Ela disse ainda que a postura mais ofensiva de Bolsonaro "não surpreendeu" e que Lula não foi ao debate para "ficar se confrontando" com o chefe do Executivo. "O que foi colocado no debate ele respondeu no tempo certo, na hora certa, sem fazer esse confronto que era o que nós não queríamos", declarou a deputada.