Lula prega contra abstenção no último dia de propaganda eleitoral

Lula em São Paulo, 26 de outubro, 2022. (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Lula em São Paulo, 26 de outubro, 2022. (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

No último dia de propaganda eleitoral em rádio e televisão, uma das peças da campanha do ex-presidente Lula (PT) pregou contra a abstenção e adiantou o programa eleitoral completo no Instagram de manhã.

"Meus amigos e minhas amigas, falta pouco para a gente mudar o Brasil. Acabar com a fome, gerar emprego, reajustar o salário mínimo acima da inflação, trazer de volta o Minha Casa, Minha Vida, renegociar a dívida das famílias e garantir crédito barato para quem deseja empreender", diz Lula. "Para isso, precisamos do seu voto. Vá de ônibus, de bicicleta, de moto, pega uma carona, mas não deixe de votar. Aperte 13, vamos juntos construir o nosso futuro".

No primeiro turno, 20,94% dos eleitores faltaram, ou seja, a cada cinco eleitores registrados no Tribunal Superior Eleitoral, um não foi.

O aumento deste percentual é uma das preocupações da campanha de petista, mas o número de eleitores beneficiados pelo passe livre vai dobrar neste segundo turno.

Em relação à votação de 2 de outubro, 17,98 milhões de pessoas a mais terão acesso à gratuidade nos transportes públicos, após todos os 26 centros do poder nos estados, além de Brasília, terem anunciado o incentivo para o exercício do direito ao voto.

Nessas cidades, a isenção das tarifas estará disponível a um total de 35,87 milhões de eleitores — medida que foca, principalmente, em cerca de 7,1 milhões deles que não compareceram às seções no primeiro turno.

Na corrida presidencial, tais medidas podem soar como boas notícias tanto para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quanto para Jair Bolsonaro (PL). Mas, segundo analistas, são capazes de apaziguar mais preocupações na campanha petista, uma vez que beneficiam, sobretudo, os mais pobres, parcela da população que dá mais votos para o ex-presidente do que para seu adversário.

Não à toa, Lula e seus apoiadores têm reforçado a mobilização para que uma maior quantidade de pessoas vá às urnas no dia 30 de outubro, lançando mão, inclusive, de ligações telefônicas feitas por famosos para convencer indecisos sobre a importância de não faltar às urnas.

Narração de Lázaro Ramos

O último programa de TV de Lula traçou rapidamente a trajetória do político pernambucano desde a infância pobre até a chegada à presidência.

O candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin, foi o primeiro a falar no vídeo ("Precisamos nos unir acima das diferenças. Do nosso lado, tem lugar para todos os democratas"), seguido pela senadora Simone Tebet ("Eu vejo em Lula uma pessoa que tem a capacidade de reconstruir o Brasil e unir novamente as famílias brasileiras) e pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ("Nas eleições não tem dúvida, vote no 13, vote em Lula, porque ele vai melhorar ainda mais a sua vida).

A peça usou também imagens do encontro entre Lula e Papa Francisco, em fevereiro de 2020, quando o candidato começou a dizer que, durante a campanha, reuniu pessoas de "vários partidos e gente de sem nenhum partido, gente de centro de esquerda e de direita, gente de todas as religiões, brasileiros e brasileiras que não aguentam mais a violência política."

O ator Lázaro Ramos narrou o clipe final, que antecedeu uma versão da música "Amanhã", de Guilherme Arantes.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.