Lula presta solidariedade a mulher humilhada por bolsonarista em vídeo viral

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prestou solidariedade a uma mulher que teve negada a continuidade da entrega de marmitas por um apoiador do atual presidente, Jair Bolsonaro (PL).

O vídeo foi publicado neste sábado (10) nas redes sociais dos Jornalistas Livres e viralizou desde então.

"Ela é Lula. A partir de hoje não tem mais marmita", afirma ele após ouvir que a senhora tem preferência pelo petista. "A senhora peça para o Lula agora, beleza?"

"A fome é culpa da falta de compromisso de quem governa o país. Negar ajuda para alguém que passa dificuldades por divergência política é falta de humanidade. Minha solidariedade com essa senhora e sua família", afirmou o ex-presidente pelo Twitter.

O candidato André Janones (Avante), seu aliado, também se manifestou, assim como outros políticos da oposição. Rui Falcão (PT), candidato à Câmara dos Deputados, classificou o ato como desumano e cruel e disse ser urgente "varrer o bolsonarismo do Brasil."

O senador Humberto Costa (PT), disse que a cena é "triste, chocante e repugnante". "É contra isso que lutamos no Brasil. É contra essa mal, é contra a fome, é contra a morte", afirmou.

"Nojento! Negar uma marmita a quem tem fome por causa de uma posição política", criticou Guilherme Boulos (PSOL), que também tenta uma vaga de deputado federal.

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) localizou a mulher por meio de um assentamento em Itapeva, cidade onde mora, e decidiu doar cestas de produtos da reforma agrária para ela por ao menos seis meses, de acordo com o Painel.

As cestas contêm itens produzidos por assentamentos e acampamentos do MST, como o arroz orgânico Terra Livre, feijão, suco de uva, café, melado, açúcar mascavo e geleia.

A situação econômica do Brasil é o principal alvo da campanha de Lula em relação ao governo Bolsonaro. Pesquisa da Rede Penssan de junho mostrou que 33 milhões de pessoas passavam fome no Brasil.