Lula prevê campanha eleitoral violenta contra Bolsonaro: "É cercado de milicianos"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Em entrevista, Lula fez elogios a Geraldo Alckmin e prometeu plano de governo abrangente (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Em entrevista, Lula fez elogios a Geraldo Alckmin e prometeu plano de governo abrangente (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Resumo da notícia

  • Lula afirmou que campanha eleitoral deve ser "incivilizada"

  • Segundo o pré-candidato, o presidente Jair Bolsonaro estimula o ódio e está "cercado de milicianos"

  • Ainda assim, Lula prometeu que a campanha do PT não terá ataques

O ex-presidente Lula (PT) prevê que a campanha eleitoral será “incivilizada” e violenta. Para o petista, isso deve acontecer porque o presidente Jair Bolsonaro (PL) estimula o ódio e a provocação.

“É uma campanha mais incivilizada do que as outras, porque as outras eram campanhas civilizadas, em que você tinha disputa, você tinha briga com os adversários, mas era uma coisa dentro do campo da política, era uma coisa muito civilizada”, afirmou Lula em entrevista à CBN Campinas. “A gente terminava um ato público, podia se encontrar em qualquer lugar e conversar com os adversários, se respeitando.”

Lula afirmou ainda que Bolsonaro é próximo a milicianos, o que tende a tornar a campanha mais perigosa. Segundo o petista, o atual presidente estimula o ódio e o conflito. Ainda assim, Lula prometeu uma campanha em alto nível.

“Com o atual presidente, tudo é muito difícil, porque ele é cercado de milicianos em quase todo território nacional. E ele gosta de estimular o ódio, gosta de estimular a briga, gosta de estimular a provocação, o que não faz parte do nosso diário na política. Mas eu estou convencido que nós vamos fazer uma campanha em um nível muito alto, nós vamos querer conversar sobre a situação do povo brasileiro e as soluções para os problemas que vive o povo brasileiro”, disse.

Durante a entrevista, Lula foi questionado sobre uma ofensa de um vereador de Campinas, o Major Jaime (PP). Na última segunda-feira (2), ele disse que Lula era viciado em álcool e em roubar. Sobre o assunto, Lula respondeu: “Eles não sabem fazer política de forma civilizada. Eu, possivelmente, não farei essa campanha fazendo resposta rasteira desse adversário

Elogios a Alckmin

O pré-candidato elogiou a articulação feita pelo PT para fazer alianças com outras legendas, como PSB, Psol, Solidariedade, PcdoB e Rede. Para Lula, a junção dos partidos fará com que ele e Geraldo Alckmin, vice na chapa, estejam mais prontos para governar.

Sobre Alckmin, Lula afirmou que é preciso respeitar um político que governou o estado de São Paulo por mais de 20 anos. Ele prometeu ainda que o programa de governo será criado de forma a contemplar todos os partidos envolvidos na aliança.

“Acho que o Alckmin agrega experiência, agrega um setor da sociedade que durante muito tempo não votou no PT e o Alckmin agrega pessoas que pensam diferente de nós em muitas coisas. Nós vamos criar um programa com outros partidos que compõe a aliança e esse programa será a base da concordância entre todos os partidos políticos. É assim que se faz política, é assim que a gente quer demonstrar que a gente quer recuperar o Brasil para os brasileiros.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos