Lula promete fiscalização na Amazônia: "Vamos proibir garimpo ilegal”

Lula promete fiscalização na Amazônia:
Lula promete fiscalização na Amazônia: "Vamos proibir garimpo ilegal”. REUTERS/Carla Carniel
  • Lula: a medida, segundo o petista, deve ser feita via parcerias e investigação com cientistas a nível global;

  • A gente quer explorar da Amazônia aquilo que a biodiversidade pode oferecer, declarou;

  • Candidato também se comprometeu com a renegociação de dívidas de contas de água e luz.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que aumentará fiscalização na Amazônia. Em campanha pela região Norte, ele declarou que pretende combater o garimpo ilegal na região, assim como o desmatamento. “Nós vamos ser muito duros contra o desmatamento, vamos proibir qualquer garimpo ilegal”, disse o candidato. A medida, segundo o petista, deve ser feita via parcerias e investigação com cientistas a nível global.

"A gente não quer transformar a Amazônia num santuário da humanidade, a gente quer explorar da Amazônia aquilo que a biodiversidade pode oferecer”, afirmou em encontro com deputados e representantes de partidos europeus.

O candidato também se comprometeu com a renegociação de dívidas relacionadas custos básicos, como as contas de água e luz. “Vamos negociar as dívidas das famílias brasileiras. Vinte e dois por cento dessas dívidas são com água e luz, que você pode negociar com prefeituras e empresas. Esse é um compromisso nosso, para que o povo tenha o nome limpo no Serasa”, disse Lula em entrevista à Rádio Clube, do Pará.

O ex-presidente desembarcou em Manaus (AM) nesta terça, 30 de agosto e fará, além de comício, visita em fábrica da Zona Franca. Belém do Pará e São Luiz estão na agenda como próximos destinos do petista.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)