Lula propõe 'grande debate' com evangélicos para 'discutir o Brasil'

Lula (Foto: REUTERS/Carla Carniel)
Lula (Foto: REUTERS/Carla Carniel)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT ao Palácio do Planalto, propôs na manhã desta sexta-feira (26) a realização de um encontro com evangélicos para discutir questões que o Brasil enfrenta.

A declaração ocorreu ao lado da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, do candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB), do candidato ao governo do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo (PSB), e de André Ceciliano (PT), que disputa o Senado pelo estado.

Lula afirmou que não mistura política e religião, mas disse que é preciso esclarecer alguns pontos para a sociedade.

“As pessoas não sabem que quem criou a Lei de Liberdade Religiosa foi o meu governo em 2003. É preciso que a gente diga aos evangélicos que o Dia Nacional da Marcha para Jesus foi feita por nós, em 2009. […] É preciso que a gente desmitifique essa crítica que determinadas pessoas, de má fé, mentirosas, andam falando pelo Rio.”

O petista também falou que o Dia Nacional dos Evangélicos foi criado no seu governo e que o Dia Nacional da Proclamação do Evangelho foi criado na gestão de Dilma Rousseff (PT).

“Tenho grande interesse de vir [ao Rio] e fazer um grande debate com evangélicos e discutir, não religião, e sim o Brasil, o emprego, a fome, a cultura, a situação da mulher brasileira que hoje é duplamente sofrida.”

O ex-presidente tem tentado conquistar o eleitorado evangélico. Isso acontece porque, conforme indicam as pesquisas eleitorais, é um segmento que vota majoritariamente no presidente Jair Bolsonaro (PL).

De acordo com a pesquisa Datafolha divulgada em agosto, o chefe do Executivo tem 49% das intenções de voto do segmento. Já o petista, 32%. Em um eventual segundo turno, Lula teria 37% dos votos, e Bolsonaro, 54%.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)