Lula quer levar Dilma à China como presidente de Banco do Brics em março

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.11.2022 - A ex-presidente Dilma Rousseff (PT). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.11.2022 - A ex-presidente Dilma Rousseff (PT). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Lula pretende que a substituição do economista Marco Troyjo no Banco do Brics seja resolvida já nas próximas semanas, antes da viagem que ele fará à China, prevista para março. A candidata do petista para o cargo é a ex-presidente Dilma Rousseff, e ele pretende chegar ao gigante asiático com ela na comitiva.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, já conversou com Troyjo sobre o desejo do governo de que ele renuncie ao cargo. O economista foi eleito para o cargo em maio de 2020 para um mandato de cinco anos —que só se encerraria em 2025.

A permanência de Troyjo, indicado pelo governo de Jair Bolsonaro para o cargo, é considerada insustentável: entre outras críticas, ele chegou a chamar Lula de "presidiário" quando era comentarista da rádio Jovem Pan, em 2018.