Lula revoga privatização de Correios e Petrobras

Lula revogou o processo de privatização de diversas empresas públicas iniciado no governo Bolsonaro (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Lula revogou o processo de privatização de diversas empresas públicas iniciado no governo Bolsonaro (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
  • Dentre as empresas que passariam por privatização e não passarão mais estão os Correios, a Dataprev e a Petrobras;

  • Lula ressaltou a importância dos bancos públicos no novo "ciclo econômico";

  • Processo de privatização foi iniciado no governo Bolsonaro.

Em seu primeiro dia como presidente do Brasil, ainda em seu momento de posse, Luiz Inácio Lula da Silva assinou um decreto que revoga as privatizações de empresas públicas iniciadas no governo anterior. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (02).

O presidente afirmou que é necessário "assegurar uma análise rigorosa dos impactos da privatização sobre o serviço público ou sobre o mercado". Ao todo, Lula impediu que oito instituições fossem vendidas à iniciativa privada. São elas:

  • I - a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - ECT;

  • II - a Empresa Brasil de Comunicação - EBC;

  • III - a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência - Dataprev;

  • IV - o Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. - Nuclep;

  • V - Serviço Federal de Processamento de Dados - Serpro;

  • VI - os armazéns e os imóveis de domínio da Companhia Nacional de Abastecimento - Conab constantes do Anexo

  • VII - a empresa Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras; e

  • VIII - Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. - PréSal Petróleo S.A. - PPSA.

Papel dos bancos públicos

Em seu discurso de posse, Lula também declarou que os bancos públicos terão um "papel fundamental" na economia brasileira, que entrará em um "novo ciclo". Segundo o presidente, seu trabalho na economia terá como objetivo "dinamizar e expandir o mercado interno de consumo, desenvolver comércio, exportações, serviços, agricultura e indústria".

"Os bancos públicos, especialmente o BNDES, e as empresas indutoras do crescimento e inovação como a Petrobras terão um papel fundamental nesse novo ciclo. Ao mesmo tempo, vamos impulsionar as pequenas e médias empresas, potencialmente as maiores geradoras de emprego e renda."

Como estão sendo os primeiros dias do governo Lula?