Lula sai em defesa de Prioli e diz que Bolsonaro ofende mulheres “para aparecer”

Lula prestou solidariedade à advogada e apresentadora Gabriela Prioli após ela ser alvo de ataques de Bolsonaro.
Lula prestou solidariedade à advogada e apresentadora Gabriela Prioli após ela ser alvo de ataques de Bolsonaro.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou as redes sociais nesta sexta-feira (2) para prestar solidariedade à advogada e apresentadora Gabriela Prioli após ela ser alvo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Na mensagem, o petista diz que o adversário na corrida presidencial ofende mulheres e agride pessoas para aparecer, e que não sabe conviver com ideias diferentes.

“Minha solidariedade com a @GabrielaPrioli. Não é possível termos um presidente que constantemente ofende mulheres e agride pessoas para aparecer, que não sabe conviver com ideias diferentes ou respeitar as mulheres”, escreveu Lula em resposta a um tuíte da apresentadora que respondia a provocação do atual mandatário.

Na quinta (1º), Bolsonaro compartilhou no Instagram uma matéria em que Prioli, apresentadora do programa À Prioli na CNN Brasil, dizia não ter interesse em entrevistar o atual governante por não considerá-lo “uma pessoa suficientemente interessante”.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

O chefe do Executivo fez uma piada na legenda questionando a competência da apresentadora: “Tabajara Futebol Clube diz porque não quer Neymar em seu time”, fazendo referência ao time de futebol do Casseta e Planeta, programa humorístico da Rede Globo que ficou no ar até o começo dos anos 2000.

Após a publicação, os apoiadores do Presidente partiram para ataques contra a advogada.

Nesta sexta, Prioli se manifestou sobre o post de Bolsonaro e disse que o presidente pretendia convocar a militância para ofendê-la.

“Ontem, o Presidente da República publicou no seu Instagram uma matéria sobre mim fazendo piada. Sentiu, Bolsonaro? Sabemos o propósito: direcionar a sua militância para um ataque. A convocação atinge, no meu caso, uma mulher grávida de seis meses de uma menina”, escreveu, acrescentando ter recebido centenas de ataques, ofensas e ameaças após a piada do governante.

“O ódio de Bolsonaro às mulheres é tão forte que, mesmo precisando conquistar o eleitorado feminino, ele não consegue se controlar. A resposta revela o incômodo. O título da matéria deve ter abalado o ego frágil de quem foi um rejeitado durante a vida toda. A psicanálise explica”, concluiu Prioli.