Lula sanciona aumento de salário para ministros do Supremo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta quarta-feira o reajuste de salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), do procurador-geral da República (PGR) e do defensor-geral da União (DPU). Com a decisão, os salários do topo do funcionalismo da magistratura passarão de R$ 39,2 mil para R$ 41,6 mil neste ano, chegando a R$ 46,3 mil em 2025.

O mesmo valor e reajustes serão dados ao procurador-geral da República, escalonado ao longo do período. Já o chefe da Defensoria passará a ganhar R$ 37,6 mil.

Lei de Acesso: Ministério da Saúde nega pedido para fornecer dados do cartão de vacinação de Bolsonaro

Internação: Médico de Bolsonaro visita ex-presidente em casa na Flórida

Em dezembro, a proposta de aumento de salários foi aprovada a toque de caixa. Passou pela Câmara e pelo Senado no mesmo dia. Apenas os vencimentos de parlamentares, também aprovados pelo Congresso, ainda não foram sancionados.

Atualmente, senadores e deputados ganham R$ 33,7 mil. A legislação aprovada aumenta estes pagamentos para os mesmos R$ 46,3 mil, mas escalonados até 2026.

Ao aprovar os reajustes, o argumento usado por parlamentares foi de que os salários, auxílio-moradia e cota estão congelados desde 2015, há oito anos.