Lula se encontrará com Pacheco na residência oficial do Senado em Brasília

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ex-presidente Lula terá encontro com o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em Brasília. A reunião, que será acompanhada pela bancada de senadores do PT, está pré-agendada para quarta-feira, 13, na residência oficial da Presidência do Senado. Este é o principal compromisso do presidente Lula que chega na capital federal na noite desta segunda, 11, para uma série de encontros políticos, um ato público com a militância e reuniões com entidades empresariais e setores da cultura.

— Ficou pré-agendado o encontro para quarta-feira próxima, depois de amanhã, com a bancada do PT e o ex-presidente Lula, o que repito, vejo como algo natural, institucional e importante para a demonstração que as instituições desse país conversam, dialogam. Podem não convergir sempre, mas que há um ambiente de diálogo e de muito respeito mútuo entre todos — afirma Pacheco.

Intolerância: Mourão afirma que assassinato de petista 'não é preocupante' e não vê conotação política

Crime: Políticos lamentam assassinato de dirigente do PT por apoiador de Bolsonaro em Foz do Iguaçu

O encontro entre Pacheco e o ex-presidente ocorre meses depois de Lula tentar atrair Gilberto Kassab, presidente do PSD, para uma aliança na chapa presidencial petista. Embora acene ao partido com aproximação aos palanques petistas em vários estados, o dirigente insistiu em ter candidatura própria ao Planalto, mas por falta de um nome competitivo, optou por priorizar a formação de bancada na Câmara e no Senado. Na última semana, Kassab fechou apoio a pré-candidatura de Tarcísio de Freitas (Republicanos-SP), candidato de Bolsonaro ao governo de São Paulo. Em Minas Gerais, o PSD de Kassab fechou aliança com o PT para apoiar a pré-candidatura de Alexandre Kalil.

— Evidentemente eu recebo qualquer bancada do Senado Federal, qualquer pré-candidato de qualquer dessas bancadas e ainda mais um ex-presidente da República. Qualquer ex-presidente da República que queira se encontrar com o presidente do Senado Federal, é a minha obrigação como presidente do Senado receber — disse o presidente do Congresso.

Com a presença de líderes locais e de apoiadores, Lula participará de um ato público no Centro de Convenções Ulysses Guimarães no final da tarde de terça-feira. Por questões de segurança, a militância está sendo orientada a chegar cedo, não levar mochilas e bolsas grandes ou garrafas de água. Bandeiras só entrarão sem mastro ou cabo. Será exigido documento de identificação na entrada, que terá revista com detector de metal.

Na manhã de terça-feira, Lula fará uma série de contatos políticos em um hotel em Brasília onde receberá aliados do Mato Grosso, Amazonas, Amapá e Goiás. O senador Eduardo Braga (MDB-AM) é um dos nomes com encontro confirmado com Lula. Líder da bancada do MDB no Senado, Braga é pré-candidato ao governo do Amazonas e está trabalhando para ter apoio do PT na chapa. O senador Omar Aziz (PSD-AM) falará com Lula para tentar costurar uma viagem do ex-presidente ao Amazonas ainda no mês de julho.

Integrante da bancada ruralista e pré-candidato ao Senado pelo Mato Grosso, o deputado federal Neri Geller (PP-MT) articula com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, o apoio com a federação de esquerda formada por PT, PV e PC do B. Geller também estará com Lula em Brasília. No governo Dilma Rousseff, foi ministro da Agricultura e secretário de Política Agrícola e agora tem aval da direção nacional do PP para a articulação – a sigla compõe a base de apoio do governo Bolsonaro. A conversa também terá a participação do senador Carlos Fávaro (PSD-MT) e de Geraldo Alckmin (PSB-SP), pré-candidato a vice na chapa de Lula. "Estou na base do governo mas nunca deixei de reconhecer avanços na agropecuária do governo Dilma", disse Geller.

Na tarde de terça, Lula tem um encontro marcado na sede da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em Brasília. Na reunião, o ex-presidente receberá a Agenda Institucional do Sistema Comércio, um documento com demandas e propostas da entidade apresentadas como sugestões para formulação de propostas para o plano de governo e terá uma fala direcionada ao setor. Mesmo documento já foi entregue a Jair Bolsonaro (PL) e a Simone Tebet (MDB).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos