Lula se queixa de rouquidão e diz que Bolsonaro já está prevendo a sua derrota

SÃO PAULO, SP, 20.09.2022 - O ex-presidente e candidato à Presidência da República pelo PT, Lula, participa de encontro com representantes do setor de Turismo no Hotel Gran Mercure, em São Paulo, nesta terça. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 20.09.2022 - O ex-presidente e candidato à Presidência da República pelo PT, Lula, participa de encontro com representantes do setor de Turismo no Hotel Gran Mercure, em São Paulo, nesta terça. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se queixou da rouquidão de sua voz em evento com representantes do setor do turismo nesta terça-feira (20) e afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL), seu principal adversário na corrida eleitoral, sabe que irá perder a eleição em outubro.

Lula criticou ataques recentes do presidente ao sistema eleitoral.

"O homem está dizendo que se não ganhar no primeiro turno com mais de 60% é porque houve problema nas urnas. Quando ele diz isso eu fico otimista, porque ele já está prevendo a derrota dele. Já está prevendo porque eu acho que não há como, não há como que o povo não tenha precificado já a saída [dele] e a volta da democracia", disse Lula.

No domingo (18), tanto em entrevista ao SBT como a apoiadores em Londres, Bolsonaro voltou a falar que vencerá o pleito em primeiro turno e, mais uma vez sem provas, atacou o sistema eleitoral. "Se nós não ganharmos no primeiro turno, algo de anormal aconteceu dentro do TSE", disse.

"Eu digo, se eu tiver menos de 60% dos votos, algo de anormal aconteceu no TSE, tendo em vista obviamente o 'datapovo', que você mede pela quantidade de pessoas que não só vão nos meus eventos, bem como nos recepcionam ao longo do percurso até chegar ao local do evento", afirmou Bolsonaro ao SBT.

No evento desta terça, em São Paulo, Lula também afirmou que está otimista com o resultado das eleições e que "será uma benção de Deus ganhar o Brasil e São Paulo junto". Ele estava acompanhado de Fernando Haddad, candidato do PT ao Governo de São Paulo, e de Márcio França (PSB), candidato ao Senado.

"Estou otimista que a gente pode ganhar. Acho que está tudo preparado, caminhando para a gente ganhar as eleições. Obviamente, eleição e mineração a gente só conhece o resultado depois da apuração", seguiu o petista.

Antes de começar a discursar, Lula se queixou da rouquidão de sua voz. Ele fez um discurso de quase 20 minutos.

"Eu nem deveria falar, vocês percebem que estou rouco. Eu ainda tenho oito comícios pela frente, ainda tenho várias entrevistas e ainda tem dois debates", disse Lula ao começar seu discurso.

Como a Folha de S.Paulo mostrou, a rouquidão apresentada pelo ex-presidente durante o debate presidencial em agosto e também em eventos da campanha se tornou uma preocupação entre aliados do petista.

Integrantes da cúpula do PT afirmam que Lula tem um bom estado de saúde. O excesso de rouquidão na voz, dizem, tem a ver com os eventos de campanha e com um refluxo gástrico adquirido pelo ex-presidente. O petista tem tomado bastante água, feito tratamento caseiro com mel e exercícios com fonoaudiólogo.