Lula tem 48% em Minas e Bolsonaro, 43%, segundo Datafolha

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em Minas Gerais, estado que é considerado um espelho do resultado da eleição nacional, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) marca 48% das intenções de votos totais ante 43% do presidente Jair Bolsonaro (PL). O total de indecisos é de 3%, e os brancos e nulos, 5%.

Considerando a margem de erro, há um empate técnico entre Lula e Bolsonaro.

A pesquisa Datafolha, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, ouviu 1.009 pessoas no estado de Minas Gerais, de terça (25) a esta quinta. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 04208/2022.

No cenário nacional, que tem margem de erro de 2 pontos percentuais, a pesquisa Datafolha mostra vantagem de Lula, que tem 49% dos votos totais, ante 44% de Bolsonaro, 5% de brancos e nulos e 2% de indecisos.

Em relação aos votos válidos, que desconsideram brancos e nulos, Lula marca 52%, e Bolsonaro, 48%.

Em Minas, no primeiro turno, Lula venceu Bolsonaro com praticamente o mesmo placar nacional —48,29% dos votos válidos, contra 43,60% do adversário. Nacionalmente, a contagem ficou em 48,43% para Lula contra 43,20% para Bolsonaro.

Em termos de rejeição, 50% indicam não votar de jeito nenhum em Bolsonaro, enquanto 45% rejeitam Lula.

Entre os eleitores de Minas Gerais, 40% consideram o governo Bolsonaro ótimo ou bom; 23% avaliam como regular; 36% opinam que é ruim ou péssimo; e 1% não sabe.

As duas campanhas cantam vitória no estado com base em suas medições internas. Bolsonaro conta com o apoio do governador Romeu Zema (Novo), que foi reeleito no primeiro turno, derrotando o candidato de Lula, Alexandre Kalil (PSD).

Zema tem aparecido na campanha de Bolsonaro e busca angariar prefeitos para apoiar o presidente, algo que é minimizado pelos petistas, que não veem uma virada no estado.

Minas Gerais, com o segundo maior colégio eleitoral do país, é uma prioridade para as campanhas de Lula e Bolsonaro. É um estado simbólico —desde a redemocratização, todos os presidentes eleitos venceram também em Minas.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, em um período de sete dias, o estado já recebeu ou receberá as visitas de Lula e Bolsonaro; dos dois candidatos a vice Geraldo Alckmin (PSB) e Braga Netto (PL); além de duas das principais apoiadoras dos postulantes ao Planalto neste segundo turno: Simone Tebet (MDB) e a primeira-dama Michelle Bolsonaro.