Lula tem 52% dos votos válidos e poderia vencer no 1º turno, mostra Datafolha

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 52% das intenções de votos válidos na disputa da sucessão de Jair Bolsonaro (PL), o que o faria ganhar a eleição que ocorrerá em 2 de outubro no primeiro turno se o pleito fosse hoje.

É o que indica a pesquisa do Datafolha feita nesta quarta (27) e quinta (28) com 2.556 eleitores em 183 cidades. Ela foi contratada pela Folha de S.Paulo e está registrada com o número BR-01192/2022 no Tribunal Superior Eleitoral.

A posição de Lula é semelhante à registrada na pesquisa anterior feita pelo instituto.

Como a margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou menos, Lula pode ter tanto 50%, necessitando um voto a mais para liquidar a fatura no primeiro turno, como pode ter mais confortáveis 54%.

Bolsonaro registra 32% dos válidos, mas aqui as atenções vão para os 9% auferidos por Ciro Gomes (PDT), que rejeitou qualquer possibilidade de diálogo no campo da esquerda para tentar firmar-se como opção para quem não quer nem o petista, nem o presidente no Planalto.

É um filme já visto em 2018, quando houve um ensaio de aproximação entre Ciro e o então candidato do PT, Fernando Haddad --que substituia a Lula, então vetado da disputa por ter condenação em segunda instância.

Ao fim, mágoas de lado a lado e o pedetista foi para a Europa após ficar em terceiro lugar no primeiro turno. Neste ano, o pedetista queria ser a tal terceira via, mas esbarrou no peso de Lula no campo em que concorre, o da esquerda.

Lula já disse em público, como em entrevista nesta semana ao UOL, que não vai lutar por voto útil, mas esse é um desejo de seus estrategistas. Eles não esperam o apoio de Ciro, mas sim uma migração por gravidade.

O petista já namorou o discurso de que vencer no primeiro turno seria ideal para conter a escalada golpista de Bolsonaro. Até aqui, o eleitor de Ciro não se mexeu --ele segue estável, após ter caído de um patamar usual de 12% para 8%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos