Lula tem 52%, e Bolsonaro, 48% dos votos válidos, aponta Quaest

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRFESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 52% dos votos válidos, um dia antes do segundo turno, segundo pesquisa Quaest divulgada neste sábado (29). O atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que disputa à reeleição, registra 48% das intenções.

No último levantamento, realizado na última quarta (26), o petista tinha 53%, e o presidente, 47%.

Os votos válidos excluem os brancos e nulos e são usados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para totalizar o resultado das eleições. A margem de erro da pesquisa deste sábado é de dois pontos, para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.

Em relação aos votos totais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua à frente na disputa presidencial de segundo turno, com 46% das intenções de voto contra 43% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Os que pretendem votar em branco, nulo ou não votar somam 6%, e os indecisos 5%, indica o levantamento, que é financiado pela corretora de investimentos digital Genial Investimentos, controlada pelo banco Genial.

A empresa de pesquisa e consultoria ouviu 2.000 pessoas com mais de 16 anos em seus domicílios, em 1220 municípios, de sexta (28) até a sábado (28). O número do registro na Justiça Eleitoral é BR-05765/2022.

No primeiro turno, no dia 2, Lula obteve 48,4% dos votos válidos, ante 43,2% de Bolsonaro. A terceira colocada, Simone Tebet (MDB), ficou com 4,2% e Ciro Gomes (PDT), com 3%.

Abstiveram-se 33 milhões de eleitores, o equivalente a 21% do eleitorado do país. Os votos em branco ou nulos para presidente no primeiro turno somaram 5,5 milhões, o correspondente a 4,4% dos que compareceram às seções eleitorais.

Após a primeira votação, a Quaest incluiu em seus levantamentos um novo cálculo, considerando os eleitores com maior probabilidade de ir votar no próximo domingo (30). Por essa conta, Lula registra 51,4%, e Bolsonaro, 48,6%.

O modelo de likely voter (eleitor provável) foi construído a partir de dados do comparecimento real no primeiro turno desta eleição e de pesquisas anteriores da Quaest, que demonstram uma diferença significativa entre a abstenção declarada e a abstenção real.

Em relação a rejeição, Bolsonaro registra 48%. Já os que dizem não votar em Lula de jeito nenhum somam 44%.

As pesquisas eleitorais são um retrato da intenção dos eleitores no momento em que as entrevistas são feitas, e não uma projeção do resultado eleitoral, que só será conhecido no dia do pleito, com a apuração oficial.

Até o instante de apertar o botão na urna, muitas variáveis podem fazer com que as pessoas mudem de posição. Para fazer uma análise mais ampla do cenário eleitoral, o eleitor deve levar em conta o conjunto de questões que os levantamentos abordam.