Lula vai visitar indígenas Yanomami em Roraima no sábado (21)

Acompanhado de dois ministros, presidente vai cuidar de questões relacionadas à desnutrição de crianças indígenas

Lula (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
Lula (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou na tarde desta sexta-feira (20) que vai viajar para Roraima no sábado (21) para acompanhar a situação de desnutrição de crianças Yanomami.

Nas redes sociais, Lula afirmou que o governo federal oferecerá suporte e que equipe vai atuar para garantir a vida das crianças indígenas.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O governador Antonio Denarium (PP) confirmou a ida do presidente ao estado. Também nas redes sociais, o político escreveu:

“O presidente Lula estará em visita oficial a Roraima neste sábado para visitar as estruturas de atendimento à saúde indígena, de responsabilidade do governo federal”.

Denarium é aliado de Jair Bolsonaro (PL) e fez campanha para o ex-presidente em Roraima nas eleições de outubro do ano passado.

Viagem para Roraima

A ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara, também viajará ao estado.

“Visitaremos amanhã a Terra Indígena Yanomami para uma ação interministerial de emergência. Nossos parentes Yanomami enfrentam uma crise humanitária e sanitária. É inadmissível ver nossos parente morrerem de desnutrição e fome”, escreveu ela no Twitter.

Ela também afirmou que sua pasta “tomará medidas urgentes em torno desta crise humanitária imposta contra nossos povos”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo o jornal Valor Econômico, além de Guajajara, o ministro Wellington Dias, do Desenvolvimento Social, também acompanhará o presidente.

A viagem foi decidida depois de uma reunião no Palácio do Planalto entre Lula, Dias, Guajajara e as ministras da Saúde, Nísia Trindade, e da Gestão, Esther Dweck.

Ainda de acordo com a publicação, Lula pediu ajuda das Forças Armadas para visitar aldeias de indígenas Yanomamis, que estariam isolados, passando fome e cercados por garimpeiros.