Lula vence com 72,9% na Nova Zelândia, primeiro país a fechar votação

Lula foi o preferido entre eleitores na Nova Zelândia (AP Photo/Raphael Muller)
Lula foi o preferido entre eleitores na Nova Zelândia (AP Photo/Raphael Muller)
  • Lula foi a opção de 72,9% dos eleitores que votaram na Nova Zelândia

  • Ele recebeu 329 dos 451 votos válidos no país

  • Jair Bolsonaro ficou em segundo, com 15,7%

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi o candidato mais votado na eleição presidencial deste domingo (2) entre os brasileiros que vivem na Nova Zelândia, o primeiro país a encerrar a votação.

Lula teve ampla vantagem sobre os outros concorrentes, sendo preferência de 72,9% dos eleitores do país.

O petista teve 329 dos 451 votos válidos, contra 71 de seu principal adversário, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que terminou com 15,7% no pleito em Wellington, capital do país.

A terceira colocação ficou com Ciro Gomes (PDT), com 5,1%, enquanto Felipe D'Ávila (Novo) teve 2,4%, à frente de Simone Tebet (MDB), com 1,8%. Padre Kelmon (PTB) foi a opção de três eleitores.

Os dados foram obtidos por meio de boletins fixados na parte externa da embaixada brasileira no país. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) só divulga o resultado oficial após a votação no Brasil ser fechada.

Eleições 2022: Como foi até aqui a campanha de Lula (PT) à presidência

Nascido em Garanhuns, a 230 km do Recife, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi ainda criança morar em São Paulo com a família. Fez um curso de tornearia mecânica em um Senai, sem completar o ensino médio. No trabalho, encontrou a política por meio da sindicalização, em um momento de enfraquecimento da ditadura militar e com o movimento Diretas Já.

Foi constituinte e elegeu-se presidente em 2002, reeleito em 2006. Após passar a faixa para Dilma Rousseff (PT), viu os protestos de 2013, o impeachment de sua sucessora e a Operação Lava Jato, que o prendeu em 2018. Com o STF (Supremo Tribunal Federal) considerando seu julgamento parcial, concorre novamente ao Executivo.

Entre as principais propostas de Lula estão a volta da política de aumento real do salário mínimo, o fortalecimento de empresas estatais e o enfrentamento à pobreza e à fome, além de manter o Auxílio Brasil em R$ 600.

No campo econômico, o petista defende a mudança da política de preços da Petrobras, que hoje é associada ao preço internacional do petróleo e gás, baseado em dólar. Também pretende revogar o teto de gastos e revisar a reforma trabalhista.