Lula volta a São Paulo após descanso na Bahia

Lula retornou a São Paulo na noite do último sábado (5), após quatro dias de descanso na Bahia. Foto: Daniel Muno z/ VIEWpress / Corbis / Getty Images.
Lula retornou a São Paulo na noite do último sábado (5), após quatro dias de descanso na Bahia. Foto: Daniel Muno z/ VIEWpress / Corbis / Getty Images.

Resumo da notícia:

  • Lula retornou a São Paulo na noite do último sábado (5);

  • O petista tirou quatro dias de descanso após ganhar as eleições;

  • Na próxima terça-feira (8), presidente eleito deve ir a Brasília.

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retornou a São Paulo no final da noite do último sábado (5) após passar quatro dias de folga na Bahia ao lado da esposa, a socióloga Rosângela da Silva, conhecida como Janja. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do petista.

Na próxima segunda-feira (7), Lula vai participar oficialmente das reuniões para a transição de governo. Depois da eleição, ele compareceu a encontros com o núcleo duro de aliados por dois dias.

Durante a folga, o petista permaneceu em comunicação com a cúpula do partido por meio de telefonemas. Contudo, ele evitou contato com a maioria dos aliados para não ser incomodado na ocasião.

Durante o período de descanso, a divulgação de nomes da equipe de transição ficou suspensa. Mas, com o retorno dele a São Paulo, a equipe de 50 pessoas deve ser divulgada em breve.

Na segunda, Lula deve se encontrar com seu vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSDB), que auxilia o processo de transição juntamente à presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e ao ex-ministro Aloizio Mercadante.

Na próxima terça-feira (8), o petista deve viajar para Brasília. Lá, ele se reunirá com integrantes da transição para começar os trabalhos. Além disso, o presidente eleito deve fazer um circuito dentro do Congresso e do Judiciário. Para este domingo (6) não há previsão de agenda.

Gleisi e Mercadante visitaram, na manhã da última sexta (4), o espaço que será utilizado em Brasília para abrigar a transição do governo Jair Bolsonaro (PL) para o governo Lula.