Lula, de volta ao poder

Luiz Inácio Lula da Silva retorna triunfante ao Palácio do Planalto em Brasília, no domingo (1º), após deixar a Presidência do país com popularidade recorde antes do escândalo de corrupção que o levou à prisão e quase significou sua morte política.

A conquista de um terceiro mandato comoveu este autodenominado "jovem" de 77 anos, ícone da esquerda brasileira e latino-americana, que não conseguiu se conter durante a certificação de sua eleição em dezembro, depois de derrotar o presidente Jair Bolsonaro.

Cumprida a pena de prisão e anuladas as condenações que muitos interpretavam como seu fim político, Lula — ícone da esquerda brasileira e latino-americana — volta à linha de frente da política.

Duas vezes presidente entre 2003 e 2010, Lula deixou o poder com uma popularidade de quase 90%, após uma gestão em que 30 milhões dos mais de 200 milhões de brasileiros saíram da pobreza.

Ganhou um enorme prestígio internacional como piloto do "milagre" econômico do Brasil, impulsionado pelos altos preços das commodities.

Mas a sorte mudou para o outrora engraxate.

Apesar de sua popularidade, sua trajetória política se viu manchada por escândalos de corrupção.

Foi reeleito a despeito do Mensalão, um esquema ilegal milionário montado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) — que cofundou em 1980 — para comprar o apoio de deputados.

Acabou também envolvido na Lava Jato, a maior operação anticorrupção da história do país, focada em uma gigantesca rede de subornos em torno da Petrobras.

Em 2017, foi condenado a nove anos e meio de prisão pela aquisição de um apartamento triplex de uma construtora em troca de contratos públicos, embora sempre tenha defendido sua inocência.

Ficou preso por 19 meses. Em março de 2021, recuperou seus direitos políticos com a anulação de sua sentença por irregularidades processuais.

- Sexta campanha presidencial

Mais de uma década depois de deixar o poder, o orador de voz rouca que teve um câncer na laringe conduziu sua sexta campanha presidencial, sua terceira bem-sucedida.

Anunciou ao mundo que "o Brasil está de volta" ao cenário internacional, especialmente em relação aos compromissos ambientais, e prometeu unir os brasileiros, após um mandato de Bolsonaro que polarizou a sociedade.

Lula segue muito popular no Nordeste, onde perdura a memória de seus programas sociais.

Mas é odiado por uma parte dos brasileiros, para quem representa o estigma da corrupção.

- Origens -

Um pequeno casebre de taipa, réplica daquele em que sua família morava quando ele nasceu em 27 de outubro de 1945, lembra suas origens humildes no Nordeste.

Sétimo filho de um casal analfabeto, Lula foi abandonado por seu pai antes de sua família migrar, como milhões de conterrâneos, para São Paulo.

Foi vendedor ambulante e engraxate. Aos 14 anos, iniciou sua formação de torneiro mecânico, trabalho em que perdeu um dedo mindinho ao manipular uma máquina. No fim da década de 1970, à frente do sindicato dos metalúrgicos, liderou uma histórica greve que desafiou a ditadura militar (1964-1985).

Disputou a eleição presidencial de 1989, a primeira desde a redemocratização, e depois em 1994, 1998 e 2002, quando venceu e se tornou o primeiro chefe de Estado brasileiro oriundo da classe trabalhadora.

- Terceiro casamento -

Também reposicionou a imagem do Brasil no mundo, ao formar o grupo de países Bric (posteriormente ampliados para Brics) e, sobretudo, ao sediar a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos Rio-2016.

Conhecido por sua habilidade de negociação política, foi posto à prova este mês durante a composição de seu gabinete, que finalmente concluiu nesta quinta-feira (29): os 37 ministérios superam os atuais 23, e as 11 mulheres são um recorde.

Em 2017, ficou viúvo pela segunda vez após a morte de sua então esposa, Marisa Letícia Lula da Silva, primeira-dama durante seus dois governos.

Mas este pai de cinco filhos voltou a conhecer o amor, com Rosângela da Silva, a "Janja", socióloga e petista, 21 anos mais nova, com quem se casou em maio.

Desde então, tem repetido que tem "a energia de um homem de 30 anos e a vontade de um jovem de 20".

bur-rsr/app/mr