Lula vota em São Bernardo do Campo

Lula votou no ABC Paulista - Foto: Reprodução/TV Globo
Lula votou no ABC Paulista - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Lula votou em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista

  • Ex-presidente tenta vencer a eleição presidencial no primeiro turno

  • Ele aparece como líder nas pesquisas de intenções de voto

O candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) votou na manhã deste domingo (2) em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, pouco após o início das eleições.

Lula chegou à escola estadual João Firmino, no bairro Assunção, por volta das 8h13, acenou para a imprensa e os apoiadores e votou.

Momentos depois, o petista concedeu entrevista coletiva e celebrou a possibilidade de voltar a votar, já que estava preso nas eleições de 2018.

“Há quatro anos atrás eu não pude votar porque eu tinha sido vítima de uma mentira nesse país. Eu estava detido na polícia federal exatamente no dia da eleição. Tentei fazer com que a urna fosse até a cela para eu votar, não levaram. E quatro anos depois, eu estou aqui, votando com reconhecimento da minha total liberdade e com a possibilidade de voltar a ser presidente da república desse país, para tentar fazer esse país voltar à normalidade", disse.

O ex-presidente também considerou esta a "eleição mais importante" que já participou e afirmou que quer atuar "pelo fim do ódio".

"Os bolsonaristas mais fanáticos terão que se adequar à maioria da sociedade. A maioria da sociedade não quer confronto, quer paz. As pessoas não querem na sua maioria a venda de armas, querem a distribuição de livros. Eu acho que a maioria das pessoas vai viver em paz. Aqueles que não quiserem, que desrespeitarem a lei, é problema deles. Mas acho que será fácil a gente restabelecer a paz e a democracia neste país."

Lula aparece como líder nas pesquisas de intenção de voto e tenta vencer a eleição presidencial neste primeiro turno.

Eleições 2022: Como foi até aqui a campanha de Lula (PT) à presidência

Nascido em Garanhuns, a 230 km do Recife, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi ainda criança morar em São Paulo com a família. Fez um curso de tornearia mecânica em um Senai, sem completar o ensino médio. No trabalho, encontrou a política por meio da sindicalização, em um momento de enfraquecimento da ditadura militar e com o movimento Diretas Já.

Foi constituinte e elegeu-se presidente em 2002, reeleito em 2006. Após passar a faixa para Dilma Rousseff (PT), viu os protestos de 2013, o impeachment de sua sucessora e a Operação Lava Jato, que o prendeu em 2018. Com o STF (Supremo Tribunal Federal) considerando seu julgamento parcial, concorre novamente ao Executivo.

Entre as principais propostas de Lula estão a volta da política de aumento real do salário mínimo, o fortalecimento de empresas estatais e o enfrentamento à pobreza e à fome, além de manter o Auxílio Brasil em R$ 600.

No campo econômico, o petista defende a mudança da política de preços da Petrobras, que hoje é associada ao preço internacional do petróleo e gás, baseado em dólar. Também pretende revogar o teto de gastos e revisar a reforma trabalhista.