Lula x Lula: como foi o desempenho do petista nas seis eleições que disputou

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conquistou, neste domingo, o terceiro mandato para presidente da República. O petista superou o rival Jair Bolsonaro (PL) em mais de dois milhões de votos, sendo o candidato escolhido por 60,3 milhões de pessoas no segundo turno. Com 100% das urnas apuradas, Lula teve 50,9% dos votos. Bolsonaro, por sua vez, ficou com 49,1%.

Leia na íntegra: Lula faz primeiro discurso depois de ser eleito presidente do Brasil

Minas Gerais: Lula vence no estado e mantém tradição desde 1955

Com a disputa de 2022, Lula concorreu à sexta eleição em 33 anos. O agora presidente eleito se candidatou ao cargo pela primeira vez em 1989. Durante a campanha eleitoral deste ano, no entanto, ele afirmou que “se eleito, será um presidente de um mandato só”.

Relembre como foi o desempenho do petista nas disputas passadas.

1989

Na primeira vez que saiu candidato à presidência, Lula foi derrotado por Fernando Affonso Collor de Mello, do Partido da Reconstrução Nacional (PRN). Nas eleições de 1989, o petista chegou a avançar ao segundo turno, ao lado do vice José Paulo Biso (PSB). Os 31 milhões de voto, no entanto, não foram o suficiente para desbancar Collor, que recebeu 35 milhões.

1994

Em sua segunda tentativa, Lula foi derrotado por Fernando Henrique Cardoso (FHC), candidato do PSDB. O sociólogo venceu no primeiro turno, sendo a escolha de 55,22% dos brasileiros, enquanto Lula recebeu pouco mais de 39% dos votos. À época, seu companheiro de chapa era Aloízio Mercadante, um dos fundadores do partido.

1998

Pela terceira vez, Lula perde a eleição para presidente, dessa vez tendo Leonel Brizola como vice. FHC vence de novo no primeiro turno.

2002

Lula foi eleito presidente, pela primeira, em 7 de novembro depois de derrotar José Serra, candidato do PSDB, no segundo turno. O petista recebeu 52 milhões de votos, o que equivalente a 61% dos válidos.

2006

Em 27 de outubro de 2006, Lula foi reeleito com uma coalização de 12 partidos. A vitória se deu em cima do então rival Geraldo Alckmin, à época filiado ao PSDB. Para o segundo governo, o petista recebeu 58 milhões de votos, o que corresponde a mais de 60% dos votos válidos.